domingo, agosto 14, 2005

Mensalão, é isso aí....

Um dos fios da meada para se descobrir o mistério que Marcos Valério e Roberto Jefferson insistem em esconder pode ter passado pelo gabinete do então presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha (PT-SP). O assessor de imprensa de João Paulo foi ninguém menos que Luiz Costa Pinto, o Lulinha, contratado pela Coca-Cola para evitar qualquer movimentação estranha contra a gigante dos refrigerantes, dentro parlamento brasileiro. Na página eletrônica da agência de propaganda DNA, que antes exibia a relação dos clientes, depois das denúncias passou a exibir a mensagem “em construção”, constava o nome da americana Coca-Cola. Pode até ser uma enorme coincidência, mas os mais céticos garantem que elas não existem. E se de fato não existirem, alguém do Ministério do Turismo pode explicar o que houve.

Fonte : http://www.ucho.info/913.htm