sábado, julho 30, 2005

COCA-COLA controla a água!

Adital - Organizações não governamentais que participam do fórum mexicano Em Defesa da Água denunciam que a COCA-COLA, uma das maiores engafarradoras do mundo, está tentando controlar as fontes de água em Chiapas, a principal zona de reserva de água de México. O pretexto utilizado pela transnacional para expandir sua presença na região seria a construção de escolas nas comunidades, onde adquirem prédios com fontes de água. a empresa também estaria considerando a instalação de uma e engarrafadora San Cristóbal de las Casas, onde existem córregos do serrote Huitepec e em Huixtán, zonas com grandes reservas hídricas.
Juntamente com a Nestlé e Pepsi, a COCA-COLA é uma das principais engarrafadoras de água no país. Segundo a imprensa mexicana, se estima que as vendas de água engarrafada, por ano, no México, são de quase 12 bilhões de pesos, enquanto que a Comissão Nacional dá Água (Conagua) capta pelo serviço de água potável cerca de 16 bilhões de pesos.

Para as organizações de defesa da água, a comercialização do líquido em garrafas de plástico é outra das formas de privatização do recurso, processo que tem se expandido no mundo durante os anos recentes, e as empresas que controlam esse mercado procuram se assentar nas regiões onde a água está garantida. Somado ao controle dos serviços de água potável que três empresas exercem em todo o mundo - Suez, Vivendi e RWE-Thames - estão estas companhias engarrafadoras, que também monopolizam a atividade. De acordo com informação da Conagua, na zona, se encontram 50% da água de todo o país.

Segundo o Centro de Investigações Econômicas e Políticas de Ação Comunitária, a Fundação Coca- Cola Chiapas informa que, em quatro anos, já construíu escolas nos municípios de Pantelhó, Huixtán, Comitán e, recentemente, em Pantepec, além de ter reabilitado dois albergues escolares indígenas nos municípios de Tila e El Porvenir, com o apoio do governamental Comitê de Construção de Escola do Estado (Cocoes). Estas obras têm beneficiado "mais de 850 crianças tzeltales, tzotziles e zoques, e centenas de comunidades de onde provêm".

Por outro lado, a COCA-COLA, depois da vitória do presidente Vicente Fox, que foi representante da transnacional no México, incrementou suas instalações em Chiapas, no uso do solo para extração, processamento e engarrafamento de água no aqüífero mais rico de San Cristóbal de las Casas, nas encostas do serrote Huitepec, uma reserva ecológica administrada pela ONG conservadora Pronatura e assinalada como uma organização ambientalista que recebe fundos da COCA-COLA México.