quarta-feira, abril 13, 2005

É justo? Ou é imoral?

" O ex-presidente mundial da Coca-Cola Douglas Ivester já vivia um inferno astral quando uma notícia na maior revista semanal brasileira detonou uma crise de proporções mundiais. Numa entrevista publicada em outubro de 1999 nas Páginas Amarelas de Veja , Invester admitiu que a Coca-Cola testava uma máquina de vender latas de refrigerantes capaz de alterar os preços de acordo com a temperatura ambiente. "Essa é uma situação clássica de oferta e procura", afirmou o executivo americano ao jornalista Eurípedes Alcântara, então redator-chefe de Veja . "A Coca-Cola é um produto cuja utilidade varia de momento para momento. Numa final de campeonato, no verão, quando as pessoas estão reunidas num estádio se divertindo, a utilidade de uma Coca gelada é alta. Por isso é justo que ela custe mais caro".

Trecho de artigo publicado esta semana na revista Exame