segunda-feira, fevereiro 21, 2005

1903 : O Stephan Chemical entra em cena....

Em 1900, a Coca-Cola gerava controvérsias nas ruas, nos meios científicos e nos tribunais.
Arruaças, racismo, Ku Klux Klan, fanáticos religiosos, de maneiras diversas eram motivos para polêmicas. A Cocaína, a droga maravilhosa de 1885, transformara-se em 1900 no flagelo da humanidade. Fazendeiros davam cocaína a seus meeiros em vez de comida, e nas cidades a droga era mais barata do que o alcool. Mas como sobreviver sem o estímulo da folha de coca na fórmula?
Asa Candler, mesmo pressionado, insistia em manter a Coca-Cola inalterada. Processos judiciais em 1901 e 1902 apresentavam testemunhos médicos sobre os malefícios da droga.
Finalmente sob pressão, Candler "removeu" a cocaína em 1901, porém, exames quimicos no ano seguinte ainda constatavam a existência da droga na bebida, ainda que em menor quantidade.
Em dezembro de 1902, o legislativo da Geórgia tornou ilegal a venda de cocaína sob qualquer forma.
Em agosto de 1903 a The Coca Cola Company assinou um contrato com a Schaefer Alkaloid Works, de Maywood N.J., para "descocainizar" a folha de coca.
O Shaefer Alkaloid Works, nada mais é do que o predecessor do atual, conhecido e polêmico Sthepan Chemical Company, funcionando até hoje no mesmo endereço...

Informações retiradas do livro Por Deus, pela pátria e pela Coca-Cola, de Mark Perdengrast. edição de 1993, não mais encontrado nas livrarias brasileiras.