sábado, janeiro 29, 2005

Lição Recomendada

O mundo corporativo acompanha de perto o caso da Coca-Cola East África, de Nairóbi, que promete se tornar célebre como manual sobre como companhias transnacionais não devem se comportar, onde a soberania cultural local não permite interferência de códigos externos, nem mesmo daqueles que compõem a conduta universal.

É raro, mas acontece. Acostumadas a impor condutas, as empresas estão surpresas com a "virada" de uma situação de acompanhamento de auditoria de rotina, para uma ação criminal impetrada por um gerente da companhia que se sentiu ultrajado por ter que ser acompanhado em uma negociação, se queixando por isso à polícia.

Para estabelecer-se bem em um país, não basta ter condicionamento intervencionista, rede política e milhões de dólares. Por vezes, é preciso ter uma certa visão de respeito pela cultura local também. Seja ela qual for.

Leia a matéria : http://allafrica.com/stories/200501241282.html