quarta-feira, novembro 10, 2004

PRETENSÃO, PRECONCEITO, INCOMPETÊNCIA.....

Ou “reinventando a roda”....agora quadrada!

Li hoje, no Valor Econômico, uma daquelas matérias que nos deixam entre pasmos e divertidos. Era o anúncio da retomada da produção de garrafas de vidro retornáveis pela Coca-Cola, agora em grande escala(???)

O objetivo, segundo uma senhora chamada Cláudia Colaferro, diretora de marketing da gigante desleal, é, literalmente, atingir “ os lares das classes mais baixas”- interessante essa colocação preconceituosa de referir-se às classes economicamente menos favorecidas, simplesmente como “mais baixas”...

Segundo a nota, a retomada do vidro iniciou-se em 2003 e atingiu um crescimento de 46% em um ano. Como a participação do vidro (segundo a nota) era de 6%, os números só enganam os leigos. Na realidade é nada sobre coisa nenhuma...

A Sra. Claudia prossegue dizendo que o consumidor “tende a consumir o produto da embalagem que já possui”, numa declaração acadêmica, digna de estudantes de cursos de marketing do SEBRAE. Partindo desse mandamento, todas os outros fatores componentes de uma decisão de compra passam a ser secundários ou inexistentes. Isso para a Sra Claudia, e por extensão, para a Coca-Cola.

Pretensiosamente, a Coca-Cola atribui a si mesmo um erro estratégico de ter permitido a utilização do PET retornável para as pequenas empresas na década passada. Mentira! O que aconteceu na realidade foi um autêntico atropelamento das embalagens de vidro pela inovação, modernidade e conveniência das embalagens plásticas descartáveis.

Pessoalmente, participei de dezenas de tentativas infrutíferas de salvar as embalagens retornáveis, todas sem sucesso. Não há como deter a modernidade e a conveniência em Marketing. O máximo que o poder econômico da Coca-Cola vai conseguir é uma primeira colocação das garrafas. Não haverá giro que sustente essa estratégia e em pouco tempo os milhões de garrafas estarão descansando em velhos depósitos ou moídas para reciclagem.

A grande campanha de marketing para sustentar tão ambicioso projeto de consumo, inclui um prêmio mensal de R$ 400,00 por mês para ser sorteado no programa da Ana Maria Braga. Espero que um prêmio de tamanha magnitude, não venha a gerar um consumo desenfreado, abalando assim as finanças desta empresa tão inovadora...

Registre-se por último, que esse retrocesso irresponsável, vai gerar filhotes indesejáveis para o meio-ambiente. Explico: A relação de água utilizada na lavagem do vidro é de 6,5 litros de água por garrafa contra apenas 2 litros de água por garrafa no caso das descartáveis.

Nossos lençóis freáticos preocupados com o desperdício desnecessário e a contaminação possível, agradecem se as fábricas produtoras tiverem estações de tratamento decentes para evitar ao menos que a devolução de suas águas seja dentro de padrões legais. O que não parece ser o hábito da Coca-Cola, conforme duvulgam extensos relatórios de ONGs e OGs espalhadas pelo mundo afora......