quinta-feira, novembro 18, 2004

COCA-COLA DEMONSTRA EM PÚBLICO PREOCUPAÇÃO EM ABAFAR DENÚNCIAS

7h: 40' de atritos e debates na Audiência Pública na Câmara Federal: gigantesca mobilização da multinacional demonstrou a inacreditável fragilidade da gigante e o fracasso na tentativa de desviar assunto

São Paulo e Brasília, 18 – Foi de tal forma espalhafatosa, atrapalhada e pouco convincente a manifestação de força desproporcional mobilizada e utilizada ontem pela Coca-Cola no Congresso Nacional que, se alguém ainda tinha dúvidas se a empresa é culpada nas denúncias feitas pela Dolly, agora tem a certeza. Até os deputados mais aguerridos na defesa da multinacional, destacando-se o deputado federal José Carlos Araújo (PFL/BA), foram perdendo força durante as 7 horas e 40 minutos de duração da Audiência Pública, já inscrita como histórica. O plenário reuniu três das mais importes Comissões da Casa: Defesa do Consumidor, Finanças e Tributação e Fiscalização Financeira e Controle, fato que não se vê até quando se trata de questões mais relevantes para o país. E, no fim, uma das principais dúvidas levantadas pelos parlamentares não foi respondida, mas escamoteada de todas as formas – o extrato Vegetal utilizado em uma das fases de preparação do produto Coca-Cola tem ou não derivados de folhas de coca? Sim ou Não? Extrato Vegetal de quê? Qual é o “vegetal” utilizado?A Audiência acabou sendo um show. Mas era para ser apenas uma mera e tranqüila Audiência Pública da Defesa do Consumidor, esperada há mais de um ano, e que deveria esclarecer vários pontos da concorrência desleal denunciada pela empresa nacional de refrigerantes Dolly. Nesse ponto começou a tentativa de massacre por parte da multinacional que, não conseguindo refutar ou se defender das provas que vem sendo apresentadas em todas as instâncias onde está sendo julgada, resolveu atacar. Numa desajeitada estratégia de guerra ao estilo americano primeiro fez com que, de última hora, as outras duas comissões integrassem o evento. O propósito: denunciar a Dolly por suposta sonegação fiscal. Na falta de assunto (mesmo com toda a espionagem da Kroll, entre outras tentativas) ou de qualquer documento mais “quente”, tentou ressuscitar como novos fatos já há anos absolutamente esclarecidos, utilizando como “laranjas” e “escudos” uma associação questionável, a ABCF, e um estelionatário. E que acabaram se mostrando e sendo a verdadeira imagem da Coca-Cola neste embate que já dura quase um ano e meio. Os argumentos dos dois arregimentados, Pedro Quintino de Paula e Fernando Rammazini foram desmontados em poucos minutos, mesmo com todo o circo evidentemente armado para beneficiar a multinacional.

DIRETO, PELA TV CÂMARA – A TV Câmara gravou tudo, e várias horas foram transmitidas ao vivo. Quem assistiu ou assistir (veja no site www.camara.gov.br), e for brasileiro ou apenas isento de preconceitos, verá cenas dantescas e uma grande defesa da empresa nacional, além de defesa clara de seus próprios direitos. Sozinho, Laerte Codonho, presidente e dono da marca Dolly, enfrentou de peito aberto todo um exército, todo o esquema milionário, para visível surpresa da própria “tropa de choque” da multinacional que achou que o “assustaria” levando o assunto a tiracolo. PANGAIA VEM AÍ - No fim, conseguiram atrapalhar um pouquinho, mas só um pouquinho, a continuidade das denúncias de Codonho, como o caso Operação Pangaia, muito complexo e bem documentado. Mas que agora primeiro será levado pelo próprio Laerte Codonho diretamente ao delegado responsável pelo inquérito aberto já há algum tempo, em Brasília, e que investiga a multinacional e todo o Sistema Coca-Cola, a pedido do subprocurador geral da República, Moacir Guimarães Morais Filho. No momento que a Operação Pangaia foi citada, sumiu imediatamente o sorriso do rosto de vários dos “comandantes” da Coca-Cola. Afinal eles sabem que tratar-se –á da revelação de um esquema de sonegação fiscal da ordem de 7 bilhões de reais – em grande parte liderada também pelo argentino Jorge Dante Giganti, ex-presidente da engarrafadora de São Paulo e da Coca-Cola no Brasil, Argentina e México, e um dos convocados de ontem. Mesmo declarando-se afastado da empresa era surpreendente ver Giganti como um dos principais articuladores - também dentro do próprio plenário - do esquema planejado contra a Dolly e seu proprietário utilizando justamente o que ele denuncia há meses. No caso, alguns dos agentes, os próprios, que foram responsáveis por muitas das sabotagens, espionagens, infiltrações e até invasões sofridas pela Dolly durante anos até que esta juntasse provas para apontar os vários crimes cometidos, com a cobertura, conhecimento e apoio dos principais executivos da multinacional. (documentos à disposição da imprensa). Várias vezes, Giganti tentou até se adiantar e responder a perguntas dirigidas ao atual presidente, Brian Smith, sendo por isso duramente repreendido por um dos presidentes da mesa, no caso, o deputado Nelson Bornier (PMDB/RJ).FOLHAS DE COCA – Durante muito tempo a Audiência Pública discutiu a dúvida se há derivados de folhas de coca no Extrato Vegetal utilizado na produção da Coca-Cola. A pergunta acabou não sendo respondida. Embora a Coca-Cola ainda insista, para negar, em apresentar laudo de 2000, ocasião na qual apenas os produtos – latas e garrafas – teriam sido analisados. Tentando mudar o assunto, já que o caso em questão no momento se encontra nas mãos do Ministro Márcio Thomaz Bastos, da Justiça. A pedido da própria Câmara Federal, a análise que será solicitada ao Instituto de Criminalística será do produto Extrato Vegetal in natura, como chega ao Brasil, em Manaus, importado dos Estados Unidos. A Coca-Cola continua muito preocupada com esse assunto. E, ontem, mais uma vez, quem viu atentamente o que ocorreu no mínimo já está com várias certezas: se não tem nada errado, por que tanta preocupação? Por que nem o farmacêutico levado à audiência nem o presidente responderam, chegando a se mostrar nervosos e reticentes? P.S.: -Para não ter dúvidas, já que poucos jornalistas acompanharam a audiência do começo ao fim, não deixe de visitar o site oficial da Câmara: www.camara.gov.br. Na área de imprensa, a cobertura oficial que mostra os fatos acima relatados. Você poderá também ver e ouvir trechos das gravações diretas feitas pela TV Câmara, que foram ao ar ao vivo ontem e que certamente serão reprisados.

Marli Gonçalves – Jornalista – MTb 12.037ASSESSORIA DE IMPRENSA DA DOLLY REFRIGERANTESTel. (11) 9186-0085 - marligo@uol.com.br


Fonte: http://www.dolly.com.br/