segunda-feira, outubro 25, 2004

Coca-Cola: Conexão CIA-Cocaína-Bush

Existem muitos grandes segredos com a Coca-Cola. Mas, o monopólio da mídia, de ligações com espiomagem e conflitos de interesses não se habilita a comentar profundamente o assunto.

Se formos nos reportar ao final da Segunda Guerra, poderemos nos perguntar o que tornou a Coca-Cola tão popular desde aquela época, se existem tantas outras bebidas com tanto ou maior potencial para o gosto do consumidor?

A resposta é simples. A Coca-Cola tem uma fórmula secreta, à base de folha de coca processada. A mesma folha de coca da qual se obtém a cocaína.

No ínício do século 20, seus criadores admitiam que existia a cocaína na bebida. Contudo, há mais de 100 anos que a The Coca-Cola Company vem 'jurando de pé junto' que de maneira nenhuma isso é verdade. Por outro lado, relatos de consumidores sobre o 'vício da bebida' estão presentes no dia-a-dia de qualquer cidadão habitante deste planeta.

Em 1989 o caso deu uma virada, e surpreendentemente, o assunto começou a ser ventilado na mídia. Por conta disso, entrevistei um alto funcionário da Stephan Chemical Company; empresa que processa folhas de coca tanto para a Coca-Cola quanto para a indústria farmacêutica, já como cocaína. E eis aí, onde George Herbert Walker Bush se insere.

Em 1976, após onze anos e meio como Diretor da Central de Inteligência Americana, a CIA; ele se tornou Diretor da farmacêutica Eli Lilly Company, que como muitas outras empresas do ramo, obtém sua cocaína da Stephan. Que de alguma forma, em algum lugar, vaza para o mercado negro de intorpecentes.

A fortuna e o poder de papai Bush, em sua maior parte, advém do tráfico e da espionagem. Segundo documento disponibilizado pelo FBI, ele permaneceu na CIA de 1959 a 1976; onde inclusive, ajudou a encobrir alguns detalhes pós-assassinato do J.F Kennedy. O documento se encontra disponível em nosso site na série "Greenspan Ajuda e Suborna Bush".

A Firma dele, a qual a realeza britânica ajudou a fundar, era a Zapata Petroleum, mais tarde denominada Zapata Offshore. Ela possuía filiais pelo mundo inteiro, e entre outras atividades, praticava perfuração petrolifera para além da jurisdição dos Estados Unidos e de outros países. Desta forma, centros de produção de intorpecentes, como a Colômbia, Bolívia, Peru, Equador e outros, podiam utilizar as plataformas de perfuração e exploração como bases receptoras para helicópteros que supostamente estariam descarregando provisões regulares.

Aparentemente por milagre, a droga surgia nos Estados Unidos. Mas a forma reconhecidamente mais fácil de entrar no país, era por meio do 'vazamento' que vinha da área de processamento e manipulação da base secreta da Coca-Cola. Porém, em 1989, chantagistas, entre altos funcionários do Governo americano, da FDA inclusive, iniciaram pressão contra a Coca-Cola, fazendo perguntas capciosas. Foi aí, que a Coca-Cola, para o bem de sua história, deixou o conteúdo de cocaína descansar em sua base secreta.

E foi neste ponto, que papai Bush, considerado um grande Barão do Tráfico, começou a mudar seu foco de interesses, logo em seguida à sua posse como Presidente dos Estados Unidos da América.

por Sherman Skolnick

Fonte:
http://www.conspiracyplanet.com/channel.cfm?channelid=123&contentid=1125&page=2