terça-feira, setembro 07, 2004

Os Norte-Americanos Podem. Os Sul-Americanos, Não.

"Então, o que o governo norte-americano, patrocinado pelos dólares contaminados pelos impostos da guerra, têm a oferecer aos sul-americanos no lugar da coca; além de armas, solo envenenado, bases militares e submissão forçada aos desígnios imperialistas dos Estados Unidos? Ah, Sim! Eles oferecem um prato cheio de hipocrisia chafurdada em sangue. Enquanto o DEA decreta a proliferação das áreas de cultivo de coca na Colômbia militarista e estrategista, eles consistentemente e sorrateiramente limpam o caminho burocrático para a Stephan Chemical, companhia baseada no estado de New Jersey, fazer a importação da coca, da Bolívia e do Peru; de tal forma que o produto possa ser transformado no 'ingrediente secreto da Coca-Cola' (shhh..... é um segredo), como também na cocaína farmacêutica. Acredite, essa é a real! Não é uma lenda urbana; a prova pode ser facilmente acessada online no US Federal Register.
Mas e se a Coca-Cola deixar de utilizar a coca em seu refrigerante? O que me deixa intrigada nisso tudo, é entender o que torna aceitável em que uma das maiores corporações norte-americanas distribua coca para hordas de cidadãos americanos descerebrados digerirem; ao mesmo tempo que se faz inadmissível para o povo que nutriu a planta, o consumo da mesma. Povo este, cujas raízes e cultura estão profundamente ligadas ao uso da coca de uma maneira muito menos danosa.
A coca tem sido a espinha dorsal da cultura indígena da região há mais de 3000 anos. Como é que companhias estrangeiras adquirem autoridade para burlar a cultura de povos que mal conhecem, impondo leis e comportamentos e causando tanta desgraça a populações inteiras?"

Por Ashley Kennedy
Fonte: www.narconews.com