terça-feira, setembro 21, 2004

Imagem Das Marcas Americanas Escorrega Ladeira Abaixo

Estudos recentes demonstram que as marcas norte-americanas estão passando por uma profunda crise de imagem com origem em uma série de escândalos corporativos como também na guerra do Iraque. Embora as multinacionais baseadas nos Estados Unidos comecem a explorar caminhos para restaurar o brilho das estrelas e listras, não existe nenhum sinal de que haja soluções seguras para o problema que os Estados Unidos estão enfrentando, conforme dados revelados por Mandy de Waal e Janice Spark, sócias fundadoras do Idea Engineers.
Empresas norte-americanas que dependem de suas operações internacionais para parte significativa de seu retorno financeiro devem se preocupar, caso levem em consideração resultados de estudos com vários consumidores globais pelo mundo afora. Países que têm se beneficiado pesadamente com investimentos norte-americanos, devem se preocupar também.
O declínio do respeito pelos valores culturais norte-americanos, já está começando a desagregar valor da imagem de marcas como Mc Donald's, Coca-Cola, Nike e Microsoft, conforme novo relatório do NOP World. O número de pessoas pelo mundo que aprecia e consome produtos norte-americanos decresce a uma velocidade média, ao mesmo tempo que o número de consumidores de marcas de outros países se mantem estável.
A NOP World declara que a popularidade e a utilização das marcas norte-americanas caíram pela primeira vez desde sua primeira pesquisa anual em 1998. Até 2002, conforme Nop, companhias como a Nike, Coca-Cola e Mc Donald's estavam gozando de crescimento saudável anual na utilização e aprovação de seus produtos no mercado internacional.
O número total de consumidores pelo mundo que utiliza 15 das principais marcas norte-americanas caiu 24%, conforme NOP. Um número significativo de clientes está, aparentemente, trocando sua fidelidade para marcas européias e japonesas, ou, o que é mais provável, para produtos 'nascidos' e cultivados em seus próprios países.
Ainda, é importante ter em mente, que este estudo foi concluído antes da divulgação das imagens dos abusos da prisão de Abu Graib , em Bagdá.

Fonte: http://www.biz-community.com/Article/196/82/4607.html