sexta-feira, setembro 17, 2004

"ELE É TUDO ISSO"

Se o Big Mac é tudo o que os outros sanduíches gostariam de ser, o Diretor Marco Simões tem tudo o que os demais executivos mortais gostariam de ter. Essa parece ser a nova mensagem que a Coca-Cola Divisão Brasil quer passar.
Marco Simões é o novo encarregado de conter o 'gás contaminado' que exala do xarope mais decantado do universo. Será que ele também vai se tornar medida globalizada do mercado? - 1 marco simões = 4 case studies bem sucedidos, 2 marco simões = 7,5 case studies resolvidos.
Na tentativa de desviar o foco de atenção de seus observadores, de UM NICHO DE PODER DE FATO desgastado pelo imaginário público: Jack Corrêa, para O NICHO DE PODER DE DIREITO decorado e projetado pela mídia para 'impor respeito' e todo o mais que vem junto com a sua história: Marco Simões; a Coca-Cola julga (ainda) que a premissa norte-americana do século passado IMAGEM É TUDO vai vingar por aqui. Não surpreende ninguém essa fachada de entretenimento. Sabe-se que por trás do muro, fica difícil mudar o esquema central interno da companhia tão rapidamente.
Mas o que resta saber de verdade, é se para ocupar tantas posições de relevância nessa cia., o seu atual homem-chave já está apto a responder perguntas para a imprensa. Será que ele fez um intensivão?
Para quem, até há pouco tempo, não era capaz nem de comentar sobre os elementos contidos na Coca-Cola para uma entrevista simples, mas tão importante em um momento decisivo na Câmara dos Deputados, a sua nomeação provocou divagações em muitas cabeças.
Especula-se por quanto tempo.
Tem gente falando em cargo-tampão.
O imediatismo da escolha gera demanda do binômio timing/competência.
Só a Coca-cola mesmo......a essa altura, inverter Maquiavel: Centralizar para administrar, fingindo produzir um novo sabor com a composição do velho xarope.