domingo, setembro 19, 2004

A AIDS, A FOME, A COCA-COLA E A GUERRA

Festivais são eventos que muito rendem em termos de entretenimento, divisas, novas idéias, comportamentos e principalmente fundos para as causas em foco.
A nova enfant gâté dos produtores de grandes eventos na União Européia, neste final de 2004, é nada menos que a morenaça globalizada, mais famosa que Jesus, suspeita de seduzir e até de viciar seus adeptos......... a inesquecível, e (quase) inconfundível Coca-Cola. Festivais NO COKE, AGAINST COCA-COLA, DROP COCA-COLA se espalham por todo o bloco europeu sem que se consiga conter o filão. É novidade! é ecologicamente, eticamente, pedagogicamente e politicamente correto. "The 20th century is over, coke's game too". Com slogans como este, os produdores prometem arrecadar fundos contra as políticas intervencionistas (guerras,etc) e de abusos do poder econômico (das transnacionais, etc). Afinal, para nós, simples mortais, a origem das restrições é única. Os patrões e mentores das guerras e dos abusos são os mesmos.
"Jovens ao som de tecno com liberdade para escolher o que consumir contra a sede (podia até Coca-Cola, para os irremediavelmente viciados), numa verdadeira revanche contra o cartel da Coca-Cola nas últimas olimpíadas. Esta foi a única queixa que a maioria dos turistas tiveram na Grécia , além do calor"- comentou um ex-executivo de multinacional.