quarta-feira, setembro 29, 2004

Um Império Em Negação

Falhas de Caráter: Os Estados Unidos têm promovido muitos danos pelo mundo, alegando as mais diferentes justificativas. Mas, depois, não conseguem administrar a bagunça que vão deixando para trás. Eles estão programados para se auto-reconstruir, mas isso não é válido em relação aos outros países. Eis aí a sua grande falha.

Um império somente no nome – O primeiro caso na história de um império em negação. Isso pode explicar porque um país que detêm quase um terço da produção mundial, surpreende a si e a todos, com tanta dificuldade em obter o pretendido. O último império anglófono administrou quase um quarto das terras do planeta e de sua população, a despeito do fato de que os britânicos eram responsáveis por somente menos de um décimo da produção mundial. No entanto, os Estados Unidos têm passado os dois últimos anos lutando desesperadamente para controlar dois únicos países estrangeiros: o Afeganistão e o Iraque. Se chamamos isso de império, com certeza ele é estranhamente frágil.

A anemia imperial americana tem uma explicação muito séria; não basta culpar a má administração e a inépcia diplomática da era Bush. Para entender o que tem dado errado nos últimos anos, é necessário repensar o conceito de poder; que constantemente é confundido com outros substantivos: abundância e armamentos, influência e fama. É perfeitamente possível ter tudo isso, e contudo, ter poder absolutamente limitado. Seja este o predicado americano.

Os Estados Unidos têm uma economia fabulosa: em dólares atuais, o Produto Interno Bruto é 30 vezes maior do que o da Rússia, 20 vezes maior do que o da Índia, 8 vezes maior do que o da China, mais de 2 vezes e meia o do Japão, e 22 por cento maior do que o da União Européia. Seu poderio militar é imbatível : gasta muito mais com suas forças armadas do que doze dos países da UE combinados, e produz melhor artilharia do que se consegue conceber. Tanto que falar em "dominação de espectro total" não é exagero.

Por outro lado, observando os dados dos últimos meses: Estabelecer a lei e a ordem no Iraque provou estar além da capacidade das Forças Armadas americanas, mesmo com a assistência britânica. A queda de Saddam Husseim trouxe esperanças que os Estados Unidos poderiam "desatar o nó" do Oriente Médio, mas quando o outono chegou, Yasir Arafat já havia readquirido o controle sobre a administração Palestina e Ariel Sharon estava construindo uma réplica do Muro de Berlim em volta dos palestinos. Enquanto isso, um repulsivo "ditador de alumínio" na Coréia do Norte, estava desafiando a hiper-potência americana com impunidade, reiniciando abertamente seu programa de armas nucleares e ameaçando "abrir a usina nuclear ao público como demonstração de força".

Os Estados Unidos chegaram mesmo a evitar o envio de tropas a um país sem expressão na África, pelo qual não tem tampouco responsabilidade histórica, a Libéria. Em agosto, 3 navios, transportando 4.500 marinheiros e fuzileiros, foram enviados à Libéria, depois de repetidas solicitações por intervenção americana. Ao todo, 225 americanos estavam no mar, dos quais 50 contraíram malária. Após dois meses, os americanos se retiraram. O que serve de referência e exemplo dos limites do poder americano.

Fonte: http://www.msnbc.msn.com/id/3606145/site/newsweek/

terça-feira, setembro 28, 2004

PGC

Debaixo de tanta tempestade, cercada de terceirizados e quarteirizados, sem rumo e sem suporte, será que a a Coca-Cola já ouviu falar em Gerenciamento de Crises? Vale fazer uma consultazinha à Dolly: Lá, presidente diz o que pensa, a assessora de imprensa não tem medo de falar sobre os produtos da companhia e as forças-tarefas concluem suas metas. O Programa de Gerenciamento de Crises da Dolly parece ser de excelência.

segunda-feira, setembro 27, 2004

Coca-Cola Não É Mais "Isso Aí!"

Acionista da Coca tenta manter sua fé no valor das ações da companhia.
Às vezes a Coca-Cola (NYSE:ko) pode ser fonte de muita frustração. Faz você querer agarrar a latinha vermelha mais próxima de líquido carbonatado, sacudi-la como uma foto de Polaroid até estourar o topo dela..... e ficar só observando como a pressão do gás força a espuma extravasar pra tudo que é lado. E essa é só uma das formas de demonstrar um sentimento que tem se alastrado entre aqueles que se envolvem de alguma forma com os negócios Coca-Cola nos últimos anos.

Há seis anos que as ações da Coca só fazem cair. Quando elas dão um 'saltinho', rapidamente retornam ao que estavam fazendo antes; istoé: CAINDO. É como estar 'plantado' do lado do jato que se recusa a mover, envolvido por nuvens negras , numa tempestade com tudo de direito: relâmpagos, raios, trovões, turbulência. Enquanto do outro lado, reina o céu azul, e algumas nuvens que demonstram que o avião está se movendo.
E a Coca, o que faz diante disso????

O pior é que até os analistas de Wall Street concordam em previsões negativas para o resto desse ano. Tenho a impressão que a Coca-Cola está presa em um videogame da Sony, em um nível tão alto e difícil, que não se pode ter previsão de tempo para a solução do caso.

O problema é que a Coca-Cola é dependente do volume de vendas para manter seu crescimento. E as novas estratégias de vendas, ainda nem começaram a ser programadas, segundo declarações recentes de porta-vozes da cia pelo mundo.

Por trás de tudo isso, há todo um desmoronamento que precisa ser levado em consideração. Não adianta mais mascarar que não existe algo de errado com a marca. Ela foi afetada, sim. O 'Board' precisa parar de pensar em sua pompa e prestar mais atenção nas conseqüência dos últimos fracassos de lançamentos de produtos e atuar mais conjuntamente com seus funcionários. Seus acionistas estão tentando manter a fé. Mas podem perder a paciência...... A Coca-Cola está mostrando que não é mais isso aí!

Por Stephen Mallas
23/09/2004
Fonte: http://www.fool.com/News/mft/2004/mft04092311.htm?ref=foolwatch

domingo, setembro 26, 2004

Quanto Mais Se Mexe, Mais Se Encontra......

E as novidades esquisitas não páram de surgir. Ontem, no programa 100% Brasil da Rede TV, o Deputado Renato Cozzolino introduziu mais duas novas frentes no caso Dolly vs. Coca-Cola: A "plataforma" e a "interferência". alguém assistiu?

sábado, setembro 25, 2004

Coca Encerra Processo De Discriminação

Gigante dos refrigerantes despende 156 milhões de dólares contra alegações de preconceito racial. Soterrada em causas similares na Justiça, Coca-Cola paga indenizações rodeada por críticas de outras multinacionais.

Quanto em dinheiro merece uma pessoa por ser discriminada pelo seu empregador por causa de sua etnia? Qual a quantia justa para cobrir as injustiças, incluindo a de receber menor salário que os funcionários por ela supervisionados? Será que uma quantia em dólares refaz a dignidade de uma pessoa?

Que tal 156 milhões de dólares?

Esta foi a quantia que a Coca-Cola Company concordou em pagar para encerrar processo de preconceito racial contra a empresa, impetrado por quatro funcionários negros que alegam discriminação e preconceito racial dentro das instalações da companhia. O processo, de abril de 1999, acusa a Coca de manter uma estrutura corporativa onde funcionários negros são nivelados abaixo dos brancos em seus quadros administrativos, pagando a cada um deles 26.000 dólares por ano. Menos que a um funcionário branco.

A quantia do acordo será dividida entre aproximadamente 2.000 funcionários da cia., fornecendo uma média de 40.000 dólares para cada um, assim como 300.000 dólares para cada um dos 4 reclamantes que constam do processo. A quantia do acordo não tem precedentes na história de casos de preconceito racial, e está sendo chamada de "um passo na direção certa", por Jesse Jackson, segundo o New York Times.

Somando-se à quantia em dinheiro, o acordo cria demanda por painel de mediadores indicados pela companhia, e de advogados para os reclamantes, para que os registros de funcionários e também as políticas internas de pessoal da empresa sejam revisados.

Um porta-voz da companhia admitiu a necessidade de suporte externo para reestruturar as políticas da companhia. Entrevistas do NYT com representantes da cia., indicaram uma "negligência benigna" de alguns funcionários, a medida que a empresa focava tempo e dinheiro como uma forma de aumentar o valor de suas ações.

Várias empresas multinacionais enviaram comentários negativos a respeito das indenizações, mas a companhia nomeou este acordo como "necessidade dos negócios", levando em consideração que as minorias nos Estados Unidos consomem uma quantidade desproporcional de produtos Coca-Cola.

Comportamento bastante comum em multinacionais mundo afora, o preconceito racial varia conforme a cultura do país. No Brasil, por exemplo, alguns ex-funcionários do RH da Coca alegam que ele atua como um crivo já no recrutamento dos funcionários. Impedindo 'problemas' futuros.

Fonte: http://racerelations.about.com/library/weekly/aa112000a.htm

sexta-feira, setembro 24, 2004

CEO DA COCA ADMITE BAIXO MORAL

22 de setembro de 2004 - "A Coca-Cola Company atingiu o moral de seus funcionários e está sofrendo de 'abstenção de foco' por causa de uma reestruturação prolongada, que eliminou muitas funções na companhia e forçou a saída de muitos executivos com cargos de status", declarou o Chief Executive Officer da gigante Coca-Cola em entrevista coletiva.
"Eu compreendo que organizar o 'rightsizing' foi o certo a fazer, mas também reconheço que isso deixou muitas cicatrizes", disse E. Neville Isdell a um pequeno grupo de repórteres nos headquarters da Coca-Cola em Atlanta.
Em março de 2003, a empresa cortou 1000 postos de trabalho da divisão norte-americana, ao que se seguiu a renúncia de muitos altos executivos. Em meio ao êxodo gerencial do staff', incluíram-se o Conselheiro do Board n.2 da Coca-Cola, e o então CEO, Douglas Daft.
"Todas essas mudanças redesenham uma organização sem confiança: a) em si própria; b) na liderança da companhia; C) no rumo da companhia", continuou Isdell, descrevendo os golpes ao moral como significativos.
Isdell está tentando motivar os funcionários a se comprometerem com metas de curto, médio e longo prazos, com foco em estruturas internas da empresa.
Enquanto isso, as tubaínas avançam......

Fonte: http://hosted.ap.org/dynamic/stories/C/COCA_COLA_ISDELL?SITE=FLNAP&SECTION=BUSINESS

quinta-feira, setembro 23, 2004

A Falsa Ética Dos Grandes Negócios

O texto abaixo foi enviado por José Teógenes Abreu.

Todo o negócio que evolui rapidamente e se agiganta o faz de forma bifronte: uma face é a que é divulgada; alicerçada por políticas de marketing, transmite à sociedade uma imagem de empresa comprometida com o social, recolhedora de impostos, geradora de empregos, preocupado com o meio-ambiente e concedente de "vantagens" ao seu corpo funcional. Não raro, essas empresas mantém fundações. Seus balanços assinalam polpudas doações a instituições caritativas ou a ongs que desenvolvem trabalhos junto aos segmentos carentes da sociedade. Ações como essas são decisivas para a melhoria da imagem da empresa e de seus produtos/serviços. Além disso, são sempre compensadas por incentivos fiscais do Estado, o que acaba se transformando em "cortesia com o chapéu dos contribuintes".
A outra face é a face oculta. Tão mais subreptícia quanto for a grandeza do negócio. Maquiagem de balanços; fluxo de informações privilegiadas, repassadas via corrupção de autoridades e agentes do Estado; sonegação de impostos; elisão fiscal; remessa de lucros às matrizes combinada com fraudes fiscais; e agressões ao meio ambiente e à saúde de consumidores são algumas das facetas da atuação marginal dessas grandes empresas. É a criminalidade que denominei em outro artigo de "criminalidade de atacado", gênese de uma série de fatores para a "criminalidade de varejo".1
Essa foi a "mão invisível"2 que Adam Smith, infelizmente, não conseguiu enxergar e que constitui uma via inexorável de atuação dos grandes negócios no mundo. No Brasil, os casos dos bancos Nacional e Econômico, em 95, da Bombril, mais recente; e no exterior, os escândalos da Enron e da WorldCom, estadunidenses, e da francesa Vivendi Universal, para citar os mais alarmantes, são emblemáticos de como os mega-negócios incorporam uma vertente marginal no âmbito do legalismo e da aparente higidez e esterilização das regras do mercado.
O fato é que por mais que as estratégias de publicidade tentem maquiar o lado perverso dos grandes empreendimentos, não existe ética possível na escalada para a conquista do binômio lucro e mega poder. "...o capitalismo neoliberal é a consagração da santa aliança entre os meios de comunicação, o poder econômico e as lideranças políticas corruptas" define bem o professor Luiz Gonzaga Belluzzo.3
Belluzzo cita três instâncias como aliadas: meios de comunicação, poder econômico e político. Vejo mais que isso. Sob o capitalismo neoliberal essas instâncias estão perfeitamente imbricadas. O poder econômico invade a política (desde o "consenso de Washington", a ordem é "chega de intermediários") que, por sua vez, detém as grandes redes de comunicação - quer por dominação direta quer por cooptação, via verbas publicitárias.
Não que defenda que todas as pequenas iniciativas no mundo dos negócios tragam em si a semente da ética. O que sustento é que a atividade empresarial, para ser ética, tem de estar cincunscrita a determinado limite, a partir do qual é impossível a manutenção de critérios para utilização de meios e fins unívocos.
A propósito, a "CPI do Roubo de Cargas" da Câmara dos Deputados, com todas as limitações que soem cercar essas atividades parlamentares, mostrou o que está por trás de boa parte das "generosas" liquidações em grandes cadeias (ops!) de estabelecimentos comerciais...

José Teógenes Abreu é jornalista

1 In A violência do Estado e o Estado de Violência. Publicado no informativo do SINPRF-ES.
2 Termo cunhado pelo economista, teórico do capitalismo liberal, Adam Smith. Segundo ele, o mercado, deixado a suas próprias regras, sem interferência estatal, promoveria seu próprio equilíbrio.
3 In Jogo perigoso. Folha de São Paulo, 07.07.02, caderno B, p. 2.

A Prova De Ser Empresa Cidadã

Em um determinado momento do filme Filadélfia, Denzel Washington pedia a Tom Hanks que lhe explicasse algo que não conseguia compreender direito, como se o tivesse explicando a uma criança de quatro anos. Se a Coca-Cola utilizasse essa mesma didática para explicar a questão do extrato vegetal, talvez todos nós pudéssemos enfim, compreender o assunto em todos os seus aspectos. Senão vejamos:
Entre todas as denúncias e acusações que vêm atingindo a empresa, esta talvez seja a mais polêmica. A de que um dos componentes de sua fórmula, conteria alcalóides originados na folha de coca, a mesma que origina (através de um outro alcalóide) a cocaína.
A resposta da Coca-Cola, no entanto, visa confundir o consumidor, tangenciar a resposta travestindo-a de uma peça de marketing, e postergar indefinidammente a resposta ao que objetivamente lhe é perguntado.
A COCA-COLA NÃO CONTÉM COCAINA, dizem seus anúncios defensivos nos jornais, acompanhados logicamente dos já enfadonhos discursos de empresa ética, cidadã e blá..blá..blá...Mas quem disse o contrário? Todos sabemos que a Coca-Cola não contém cocaína. Não somos idiotas e ninguém, que eu me lembre, fez essa acusação.
O que a Coca cola contém sim, é alcalóides extraídos da folha de coca, processados pelo Stephan Chemical nos USA e exportados para o mundo todo na forma de Extrato Vegetal, ou Mercadoria n.5, como definida internamente, um dos sete componentes do produto final.
A questão é que segundo os mais renomados toxicologistas do país, entre eles, Otavio Brasil, TODO O ALCALOIDE EXTRAÍDO DA FOLHA DE COCA É ENTORPECENTE E PODE CAUSAR DEPENDÊNCIA, além do fato de ser proibida sua utilização no Brasil por lei em vigor desde 1938!!!
Para evitar a análise desse componente, o que seria obrigatório por lei, a Coca-Cola utiliza ha décadas as mais variadas estratégias, entre elas, segundo Placídio Mendes, trocar amostras previamente preparadas em suas fábricas, por aquelas que deveriam ser colhidas no cais do porto, quando da chegada da mercadoria. “Influenciar” funcionários públicos , utilizar tráfico de influência e disponibilizar o produto final para análise ( já com os alcalóides camuflados pelo ácido forfórico) também são estratégias largamente utilizadas.
Não tenho conhecimento cientifico para julgar se causa dependência ou se faz mal a saúde, mas tenho conhecimento suficiente para afirmar que É ILEGAL, IMORAL E INESCRUPULOSA a utilização de tal componente, sem o conhecimento dos consumidores.
Como afirmou o Dep. Renato Cozzollino no programa de Tv em que foi entrevistado. A Coca-Cola tem nas mãos uma oportunidade única de legitimar seu extrato vegetal. É só liberar a análise!!! Se não o fizer, corre o risco de um escândalo de proporções gigantescas.
Portanto, esta é uma grande chance do Marco Simões demonstrar seu alto conhecimento da formulação do produto e de sua história, como o fez na Câmara dos Deputados, e responder a pergunta que só tem duas opções de resposta. A COCA-COLA UTILIZA ALGUM ALCALÓIDE DA FOLHA DE COCA EM ALGUM DOS COMPONENTES DE SEU PRODUTO? SIM OU NÃO? Mas por favor, que Marcos Simões utilize na resposta toda a delicadeza que lhe é peculiar, não invente uma terceira opção de resposta e nos respeite, ainda que nos veja como meninos e meninas de quatro anos de idade....
Dando assim uma prova que existe cidadania em ação na Coca-Cola

quarta-feira, setembro 22, 2004

DDA

Parece até distúrbio de déficit de atenção – As últimas crises da Coca-Cola são emblemáticas do que vem acontecendo durante quase 10 anos na cia.. Aparentemente, o futuro da empresa parece tão escuro quanto o líquido de sua bebida mais conhecida. Para todo lado que se olha; da área financeira, da estratégia do produto até a sua equipe de gerenciamento, o que se vê é o caos, a destruição, e corpos destroçados. É o furacão Ivan saindo de suas latinhas:

1- Nos EU, a Coca-Cola recentemente tomou a decisão estratégica de aumentar a sua fatia no mercado de vendas de refrigerantes carbonatados subindo seus preços. O média-caloria cola C2, introduzido no mercado com o preço 15% acima da Classic Coke, foi o carro-chefe da investida. Foi mal. O preço do C2 estava alto demais para atrair consumidores para experimentá-lo. Conseqüentemente, foi rejeitado. A companhia está puxando o freio da marca, empurrando o preço para baixo, até atingir paridade com a Classic Coke. Enquanto isso, o produto ainda continua ocupando espaço nas prateleiras; que poderia estar sendo ocupado por marcas com maior velocidade de consumo como a Diet Coke.

2- Na Europa, a companhia enfrentou quatro entraves. Na primavera, a Coca teve que abortar a introdução da água Dasani, e recolher 500.00 garrafas depois que se constatou no produto, níveis de bromato que excediam os limites das especificações legais locais. Na Alemanha, o volume de vendas despencou durante o ano inteiro devido a uma lei que obriga os consumidores a pagarem meio euro, ou 50 centavos, por cada garrafa independentemente do produto. Os mercados do norte europeu sofreram uma des-sazonabilidade, com esfriamento fora de época, que causou a queda de vendas em todos os refrigerantes. De acordo com um analista da Sanford Bernstein, o volume das vendas na França caiu a taxas de dois dígitos obrigando os varejistas a assumirem preços abaixo do nível determinado pelo governo, o que começará a acontecer ainda durante este mês.

3- A inovação do produto é um ítem de extrema carência na companhia. Principalmente depois do fracasso com o C2 e as evidências dos interesses dos consumidores por bebidas não-carbonatadas e ditas "saudáveis". Da mesma forma que a Coca-Cola é a maior companhia no mundo de bebidas não- carbonatadas, mal consegue chegar perto da PepsiCo nesta categoria nos Estados Unidos, com 28% de "market share" vs. 46%. Como também falta à Coca algo como o altamente lucrativo e inventivo Frito-Lay divisão de snacks salgados. Parte do problema da Coca, descansa na falta de talento gerencial para gerir iniciativas inovadoras – uma situação que a maioria dos analistas culpa seu último CEO Douglas Daft, que demitiu 5.200 funcionários durante seu reinado, substituindo o crescimento das vendas pelo corte de despesas.

Fonte: http://moneycentral.msn.com/content/P93638.asp

terça-feira, setembro 21, 2004

Imagem Das Marcas Americanas Escorrega Ladeira Abaixo

Estudos recentes demonstram que as marcas norte-americanas estão passando por uma profunda crise de imagem com origem em uma série de escândalos corporativos como também na guerra do Iraque. Embora as multinacionais baseadas nos Estados Unidos comecem a explorar caminhos para restaurar o brilho das estrelas e listras, não existe nenhum sinal de que haja soluções seguras para o problema que os Estados Unidos estão enfrentando, conforme dados revelados por Mandy de Waal e Janice Spark, sócias fundadoras do Idea Engineers.
Empresas norte-americanas que dependem de suas operações internacionais para parte significativa de seu retorno financeiro devem se preocupar, caso levem em consideração resultados de estudos com vários consumidores globais pelo mundo afora. Países que têm se beneficiado pesadamente com investimentos norte-americanos, devem se preocupar também.
O declínio do respeito pelos valores culturais norte-americanos, já está começando a desagregar valor da imagem de marcas como Mc Donald's, Coca-Cola, Nike e Microsoft, conforme novo relatório do NOP World. O número de pessoas pelo mundo que aprecia e consome produtos norte-americanos decresce a uma velocidade média, ao mesmo tempo que o número de consumidores de marcas de outros países se mantem estável.
A NOP World declara que a popularidade e a utilização das marcas norte-americanas caíram pela primeira vez desde sua primeira pesquisa anual em 1998. Até 2002, conforme Nop, companhias como a Nike, Coca-Cola e Mc Donald's estavam gozando de crescimento saudável anual na utilização e aprovação de seus produtos no mercado internacional.
O número total de consumidores pelo mundo que utiliza 15 das principais marcas norte-americanas caiu 24%, conforme NOP. Um número significativo de clientes está, aparentemente, trocando sua fidelidade para marcas européias e japonesas, ou, o que é mais provável, para produtos 'nascidos' e cultivados em seus próprios países.
Ainda, é importante ter em mente, que este estudo foi concluído antes da divulgação das imagens dos abusos da prisão de Abu Graib , em Bagdá.

Fonte: http://www.biz-community.com/Article/196/82/4607.html

segunda-feira, setembro 20, 2004

Adriana Antunes "Strikes Again"

"Graças à Justiça de S. Paulo", como repetiu várias vezes o jornalista Marcos Barrero no programa 100% Brasil da Rede TV, a entrevista de Adriana Antunes que havia sido previamente censurada, por uma ação da Coca-Cola, foi ao ar na madrugada do último sábado. As denúncias continuaram, alternadas por comentários do deputado Renato Cozzolino, que, estarrecido com o tamanho do 'monstro', fazia suas intervenções em tom assustado.
Operação Pangaia, visita aos "headquarters" da Coca-Cola de dezenas de políticos com as expensas inteiramente pagas pela Coca, presentes e agrados para o Poderes Executivo e Legislativo, sonegação de impostos; a lista de desvios é longa.
Da mesma forma que o deputado Cozzolino, vários outros parlamentares já manifestaram indignação e se comprometeram a tentar desvendar os caminhos desse absurdo, mas a morosidade da Justiça brasileira não colabora.
Adriana delarou que está gravando suas memórias do período que trabalhou na Coca-Cola. Uma equipe de profissionais vai ajudá-la a escrever um livro.
Marcos Barrero promete mais para o próximo sábado.

domingo, setembro 19, 2004

A AIDS, A FOME, A COCA-COLA E A GUERRA

Festivais são eventos que muito rendem em termos de entretenimento, divisas, novas idéias, comportamentos e principalmente fundos para as causas em foco.
A nova enfant gâté dos produtores de grandes eventos na União Européia, neste final de 2004, é nada menos que a morenaça globalizada, mais famosa que Jesus, suspeita de seduzir e até de viciar seus adeptos......... a inesquecível, e (quase) inconfundível Coca-Cola. Festivais NO COKE, AGAINST COCA-COLA, DROP COCA-COLA se espalham por todo o bloco europeu sem que se consiga conter o filão. É novidade! é ecologicamente, eticamente, pedagogicamente e politicamente correto. "The 20th century is over, coke's game too". Com slogans como este, os produdores prometem arrecadar fundos contra as políticas intervencionistas (guerras,etc) e de abusos do poder econômico (das transnacionais, etc). Afinal, para nós, simples mortais, a origem das restrições é única. Os patrões e mentores das guerras e dos abusos são os mesmos.
"Jovens ao som de tecno com liberdade para escolher o que consumir contra a sede (podia até Coca-Cola, para os irremediavelmente viciados), numa verdadeira revanche contra o cartel da Coca-Cola nas últimas olimpíadas. Esta foi a única queixa que a maioria dos turistas tiveram na Grécia , além do calor"- comentou um ex-executivo de multinacional.

sexta-feira, setembro 17, 2004

"ELE É TUDO ISSO"

Se o Big Mac é tudo o que os outros sanduíches gostariam de ser, o Diretor Marco Simões tem tudo o que os demais executivos mortais gostariam de ter. Essa parece ser a nova mensagem que a Coca-Cola Divisão Brasil quer passar.
Marco Simões é o novo encarregado de conter o 'gás contaminado' que exala do xarope mais decantado do universo. Será que ele também vai se tornar medida globalizada do mercado? - 1 marco simões = 4 case studies bem sucedidos, 2 marco simões = 7,5 case studies resolvidos.
Na tentativa de desviar o foco de atenção de seus observadores, de UM NICHO DE PODER DE FATO desgastado pelo imaginário público: Jack Corrêa, para O NICHO DE PODER DE DIREITO decorado e projetado pela mídia para 'impor respeito' e todo o mais que vem junto com a sua história: Marco Simões; a Coca-Cola julga (ainda) que a premissa norte-americana do século passado IMAGEM É TUDO vai vingar por aqui. Não surpreende ninguém essa fachada de entretenimento. Sabe-se que por trás do muro, fica difícil mudar o esquema central interno da companhia tão rapidamente.
Mas o que resta saber de verdade, é se para ocupar tantas posições de relevância nessa cia., o seu atual homem-chave já está apto a responder perguntas para a imprensa. Será que ele fez um intensivão?
Para quem, até há pouco tempo, não era capaz nem de comentar sobre os elementos contidos na Coca-Cola para uma entrevista simples, mas tão importante em um momento decisivo na Câmara dos Deputados, a sua nomeação provocou divagações em muitas cabeças.
Especula-se por quanto tempo.
Tem gente falando em cargo-tampão.
O imediatismo da escolha gera demanda do binômio timing/competência.
Só a Coca-cola mesmo......a essa altura, inverter Maquiavel: Centralizar para administrar, fingindo produzir um novo sabor com a composição do velho xarope.

quinta-feira, setembro 16, 2004

O Rei Está Nu

E sem possibilidades de achar vestimentas nas proximidades.

Da Coluna de hoje, 16/09, do Giba Um - Na Íntegra
Em sua guerra contra Laerte Codonho, dos refrigerantes Dolly, a Coca-Cola do Brasil comprou por R$ 3,2 milhões, o programa Repórter Record, há algumas semanas: entrevistou pessoas, enveredou por assuntos domésticos, acompanhou produção e engarrafamento do inimigo e colecionou depoimentos a seu favor. Brian Smith, principal homem da Coca-Cola no país, reuniu grande grupo no Rio de Janeiro, para jantar (tudo preparado por Flávia Quaresma) regado a champagne Taittinger, para que todos assistissem o Repórter Record juntos. Aí, entrou no lugar, um filme classe C chamado As Amazonas, sem maiores explicações. Smith quase infartou, e pediu que todos os convidados saíssem, inclusive o publicitário que organizara o esquema. Motivo: o próprio Edir Macedo soube da história, mandou substituir o programa e devolver os R$ 3,2 milhões. E teria comentado: "Aqui não se faz essas coisas".

A credibilidade da marca mais famosa do mundo está literalmente virando fantasia.



quarta-feira, setembro 15, 2004

Água X Coca-Cola

Água
- 75% dos americanos são cronicamente desidratados (provavelmente isso se aplica à metade da população mundial).
- Em 37% dos americanos, o sentimento de sede é tão fraco que é freqüentemente confundido com fome.
- Mesmo uma desidratação média diminui o metabolismo de uma pessoa em 3%.
- Um copo de água corta a sensação de fome durante a noite para quase 100% das pessoas em regime, é o que mostra um estudo na Universidade de Washington.
- Falta de água é o fator nº 1 da causa de fadiga durante o dia.
- Estudos preliminares indicam que de 8 a 10 copos de água por dia poderiam aliviar significativamente as dores nas costas e nas juntas em 80% das pessoas que sofrem desses males.
- Uma mera redução de 2% da água no corpo humano pode provocar incoerência na memória de curto prazo, problemas com matemática e dificuldade em focalizar uma tela de computador ou uma página impressa.
- Beber 5 copos de água por dia diminui o risco de câncer no cólon em 45%, pode diminuir o risco de câncer de mama em 79% e em 50% a probabilidade de se desenvolver câncer na bexiga.
- Você está tomando a quantidade de água que você deveria todos os dias???

COCA-COLA
- Em muitos estados nos EUA os patrulheiros rodoviários carregam dois galões de Coca-Cola no porta - malas para serem usados na remoção de sangue da pista depois de um acidente.
- Se você puser um osso em uma tigela com Coca-Cola ele amolecerá em dois dias.
- Para limpar privadas, despeje uma lata de Coca-Cola dentro do vaso e deixe a "coisa" decantar por uma hora e então dê descarga.
- O ácido cítrico na Coca-Cola também remove as manchas na louça do vaso.
- Para remover pontos de ferrugem dos pára-choques cromados de automóveis, esfregue o pára- choque com um chumaço de papel de alumínio (usado para embrulhar alimentos) molhado com Coca-Cola.
- Para limpar corrosão dos terminais de baterias de automóveis, despeje uma lata de Coca-Cola sobre os terminais e deixe efervescer sobre a corrosão.
- Para soltar um parafuso emperrado por corrosão, aplique um pano encharcado com Coca-Cola sobre o parafuso enferrujado por vários minutos.
- Para remover manchas de graxa das roupas, despeje uma lata de Coca-Cola dentro do tanque com as roupas com graxa, adicione detergente e bata em ritmo regular. A Coca-Cola ajudará a remover as manchas de graxa.
- A Coca-Cola também ajuda a limpar o embaçamento do pára-brisa do seu Carro.
- Para sua informação, o ingrediente ativo na Coca-Cola é o ácido fosfórico. Seu PH é 2.8. Ele dissolve uma unha em cerca de 4 dias.
- Ácido fosfórico também rouba cálcio dos ossos e é o maior contribuidor para o aumento da osteoporose. Há alguns anos, fizeram uma pesquisa na Alemanha para detectar o porquê do aparecimento de osteoporose em crianças a partir de 10 anos (pré-adolescentes). Resultado: excesso de Coca-Cola, por falta de orientação dos pais.
- Para transportar o xarope de Coca-Cola, os caminhões comerciais devem ser identificados com a placa de MATERIAL PERIGOSO que é reservado para o transporte de materiais altamente corrosivos.
- Os distribuidores de Coca-Cola têm usado a Coca para limpar os motores de seus caminhões há pelo menos 20 anos.
- Mais um detalhe: A Coca Light tem sido considerada cada vez mais pelos médicos e pesquisadores como uma bomba de efeito retardado, por causa da combinação coca + aspartame, suspeita de causar lupus e doenças degenerativas do sistema nervoso.
- A pergunta é: "Você gostaria de um copo de água ou um copo de Coca-Cola?".
Dr. Renato de Medeiros Silva Ortopedia/ Medicina Natural

terça-feira, setembro 14, 2004

INDIGESTA E REPUGNANTE COMBINAÇÃO

Cena 1: Tubarão, Santa Catarina, dezembro de 1993.
Dona Roseli Paes, uma simples dona de casa, resolve pequenos afazeres na cidade e sente-se esfomeada. Dirige-se então à lanchonete 2001 e inocentemente pede um dos lanches prediletos dos brasileiros: coxinha de galinha. Mas, infelizmente, D. Roseli não teve sorte ao pedir a bebida para acompanhar seu lanche. Como fazia calor, solicitou a famosa Coca-Cola “bem gelada”. Serviu-se do primeiro copo, matou a sede e foi encher seu copo novamente. Não conseguiu, algo obstruía a passagem do líquido.
Lamentavelmente, Dona Roseli viu seu simples desejo de fazer um pequeno lanche, transformar-se num pesadelo que duraria (até agora) 11 longos anos. Uma nojenta barata, entalada no gargalo, atravessara seu caminho.
Amparada por duas pessoas que assistiam a tudo, Dona Roseli, imprensada entre a revolta e a indignação, jurava tomar providências.

Cena 2: Ainda em Tubarão. Fevereiro de 1994.
Dona Roseli, através de seu advogado, ajuíza uma ação por danos, contra a Vonpar Refrigerantes, empresa responsável pela distribuição de Coca-Cola na região, de propriedade do hoje presidente da Associação Brasileira de Fabricantes de Coca-Cola, Sr. Ricardo Vontobel. Com aquela agilidade peculiar bem conhecida de nós, habitantes deste país, a justiça brasileira julga a ação procedente em 29 de abril de 1998. QUATRO ANOS DEPOIS!!!
Mas não ficou por aí, mais 6 longos anos se passaram durante os quais a Coca-Cola conseguiu com todos os artifícios jurídicos possíveis postergar a decisão que, infelizmente para eles foi confirmada por UNANIMIDADE ha poucas semanas pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina, relatada pelo desembargador Monteiro Rocha. O processo leva o n. 1998009680-4.
Na sentença o desembargador condena a Vonpar a pagar R$ 10.000,00 e conclui que a quantia é irrisória considerando o porte da empresa, não impedindo que a mesma volte a cometer o mesmo erro, e tampouco repara os danos físicos morais e psíquicos sofridos pela Dona Roseli.

Conclusão: apesar da decisão, ainda resta à Vonpar embargos e outros artifícios jurídicos que podem fazer Dona Roseli completar mais um aniversário de falecimento da barata sem ter recebido ainda a indenização que hoje, com correção e juros já está em R$ 29.731,63.
Aliás, fica a dúvida se a barata teria morrido afogada ou de overdose do extrato vegetal....
Ironias a parte, este é um fato típico da morosidade de nossa justiça e do desrespeito que uma empresa que se julga acima da lei e com total impunidade, tem para com seus consumidores mais humildes....Simplesmente nojento!

segunda-feira, setembro 13, 2004

Coca-Cola: Ilhada Pela Avalanche De Lama Que Fomentou

A Guerra Dolly X Coca-Cola tem até CPI na Assembléia Legislativa
A guerra entre a fábrica nacional de refrigerantes Dolly e a gigante multinacional Coca-Cola está com frentes abertas por todos os lados, e até com CPI na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo.Há inquérito policial em andamento no 3.° DP de Diadema (Grande São Paulo) e processos administrativos no CADE, na Secretaria de Direito Econômico – SDE do Ministério da Justiça e na Corregedoria da Receita Federal. Dia 18 último, o subprocurador geral da República, Moacir Guimarães Morais Filho, tomou por quase três horas, em Brasília, o depoimento de representantes da Dolly e analisou documentos apresentados. Os depoentes reafirmaram as acusações já feitas nos demais órgãos envolvidos na apuração. O subprocurador intimou em seguida, pessoas apontadas como alvos das denúncias de concorrência desleal e sabotagem. Entre os suspeitos estariam antigos executivos da Coca-Cola, como Jorge Giganti, ex-presidente da multinacional no Brasil, Argentina e México, e o ex-diretor de Assuntos Estratégicos, Luís Eduardo Capistrano do Amaral. Ambos faltaram com a presença, sendo a situação destes, então repassada à Polícia Federal. Aguarda-se também a presença de mais fornecedores que teriam sido coagidos pela Coca-Cola, sendo que alguns já compareceram e confirmaram coaçãoj. A CPI na Assembléia Legislativa também resolveu apurar o caso e vai instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI requerida por 48 deputados. O requerimento tem o n.° 3589/2003 e diz:"Considerando as notícias amplamente divulgadas pela imprensa de que a empresa SPAL (Coca - Cola) estaria praticando dumping, prejudicando a indústria nacional de refrigerantes. Considerando ainda, notícias divulgadas de que a referida empresa estaria praticando crime de sonegação fiscal de Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), por recolher tributos de maneira insuficiente, vindo a prejudicar o erário. Considerando ainda as notícias publicadas na imprensa nacional e internacional, de que a Secretaria da Fazenda autorizou a citada empresa a recolher alíquota substitutiva de 20%, sendo que seus concorrentes nacionais, que procederam a mesma conduta foram multados, e ainda, são obrigados a recolher 66%. Considerando que tais fatos acarretam ônus aos cofres públicos na medida que promovem evasão de divisas, e ainda, prejudicam a indústria nacional, principalmente os pequenos produtores. REQUEREMOS, nos termos do artigo 13, § 2¡, da Constituição do Estado de São Paulo e do artigo 34 daXI Consolidação do Regimento Interno, a constituição de um Comissão Parlamentar de Inquérito, composta por 9 (nove) deputados, no prazo de 180 (cento e oitenta) dias, com a finalidade de investigar a empresa SPAL - Coca Cola por práticas de sonegação fiscal de Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) por recolher tal tributo de maneira insuficiente, e dumping na comercialização de seus produtos, o que acarreta flagrante prejuízo aos consumidores brasileiros, à indústria nacional e ao erário, para que dessa maneira se possa zelar pela receita do Estado e pela conservação do bem público". Investigações preliminaresO subprocurador Morais Filho frisou que está somente realizando "investigações preliminares", adiantando, porém, que poderá "solicitar a ação da Polícia Federal no final das audiências". Por sua vez, Moacir Guimarães, representante do Ministério Público Federal junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE, declarou estar acompanhando atentamente o caso desde agosto, quando a denúncia contra a multinacional foi formalizada. "Se temos uma Lei Antitruste, se temos como reprimir crimes de ordem econômica, temos que fazê-lo adequadamente e com convicção formada a partir de provas", explicou, acentuando: "Na globalização, o abuso do poder econômico deve ser punido com rigor". Perícia em fitas de vídeoA assessora de imprensa da Dolly, jornalista Marli Gonçalves, informou que o Ministério Público Federal recebeu o laudo da perícia feita pela Polícia paulista em fitas de vídeo gravadas com o ex-diretor da Coca-Cola, Capistrano do Amaral, "onde este - diz a assessora - acaba descrevendo detalhadamente o plano para ‘estrangular’ a concorrente, a partir de 2000, envolvendo desde sabotagem e espionagem até corrupção e divulgação de informações falsas". O laudo da Superintendência da Polícia Técnica e Científica da Secretaria de Segurança de São Paulo tem o n.º 10.847 e foi assinado pelo perito Carlos Alberto da Fonseca.Ainda de acordo com Marli, haverá uma audiência pública na Comissão de Defesa do Consumidor, Meio Ambiente e Minorias, da Câmara dos Deputados. Para o deputado federal Celso Russomano (PP-SP), vice-presidente da Comissão, "a denúncia é gravíssima".Além disso, os advogados da Dolly pretendem "processar até a matriz da Coca-Cola, em Atlanta, nos Estados Unidos", segundo a assessora de imprensa Marli Gonçalves.

Fonte: http://wiki.hpgsoft.com.br/wiki.asp?destino=GuerraDollyXCoca

domingo, setembro 12, 2004

Coca-Cola Tenta Conter O Estrago

Coca-Cola tenta resolver caso antigo de anti-trust: União Européia alega formação de cartel pela companhia.
A Comunidade Européia tem investigado a legalidade do tipo de relacionamento entre a Coca-Cola e seus clientes varejistas desde 1999, por conta de uma inspeção-surpresa feita nos "headquarters" da companhia. E mais acusações ainda estão por chegar.
Em particular, a Comunidade Européia tem examinado os "rebates" (compensações e bonificações) feitos pela Coca-Cola aos varejistas que detêm um portfolio de quantidade dos produtos Coca-Cola e priorizam a oferta dos mesmos em seus estabelecimentos.
A Coca-Cola explica que essa prática é normal no mercado, e, que grandes fornecedores, ocupam mesmo maior espaço no balcão de ofertas. Obviamente, com isso, exercem maior poder no setor; negando dominar o mercado relevante.
No entanto, o grupo gigante de refrigerantes se ofereceu agora para eliminar os "rebates", que só serão oferecidos aos varejistas que atingirem as metas de vendas estabelecidas pela companhia.
Conforme anunciou a agência Reuters, a Coca-Cola também ofereceu disponibilizar espaço em seus refrigeradores de marca para as chamadas "bebidas-hóspedes", excetuando para as rivais colas. À essas bebidas seriam oferecidos 20% do espaço nos refrigeradores.
A rival PepsiCo, autora de muitas das alegações, tem constantemente se queixado de encontrar barreiras injustas à livre-concorrência no mercado de bebidas cola na Europa, onde a sua fatia de mercado é muito menor do que nos Estados Unidos. A Pepsi se queixou que os concorrentes têm sido barrados, porque os consumidores são guiados diretamente às gôndolas da Coca, sem ter a chance de perceber as outras ofertas da loja.
A Comissão rejeitou recentemente sugestão da Pepsi para reduzir o "rebate" para 3 meses. Muito menos do que a Coca gostaria. Geralmente, quanto maior o período do "rebate", mais difícil se torna para os concorrentes ganhar o mercado.
Aparentando proximidade, o acordo com a Comunidade Européia evitaria para a Coca-Cola citações formais de abuso de posição dominante no mercado. A vitória contra a Microsoft foi a causa principal da pressa em resolver este caso.
A Coca-Cola vem sofrendo acusações contra sua conduta em diversas áreas da sociedade, em diversas partes do planeta, portanto é conveniente que se comece a diluir o peso das causas.

Fonte: http://www.foodproductiondaily.com/news/ng.asp?id=53582


sábado, setembro 11, 2004

ATÉ NA CHINA

Pequim, 07/09/2004 – A Coca-Cola Company em Tianjin se viu numa situação limite na semana passada: um médico denunciou a Diet Coke como um produto que contém uma droga ilegal em sua fórmula. Ele entrou com processo no Tribunal de Tianjin, na Zona de Desenvolvimento e Economia, no dia 25 de agosto.
O tribunal ainda não começou a investigação, mas a mídia local tem feito amplas coberturas do caso.
O outorgante, um médico de 35 anos, de nome Li, alega que a Diet Coke contém ambas, cafeína e benzoato de sódio, duas substâncias que combinadas em determinadas doses, podem se tornar uma droga que potencialmente, causa dependência. Considerada prejudicial à saúde, a droga é ilegal na China.
Drogas compostas por estes dois ítens, são normalmente utilizadas para tratamento respiratório.
Em seu processo, Li está pedindo a retirada dos produtos Diet Coke do mercado doméstico, o retorno de 1.8 yuan que ele pagou por uma lata do refrigerante e a oferta de um simbólico 1 yuan por compensação. Li começou sua cruzada anti-coca em julho, depois de ter comprado uma lata de Diet Coke em um supermercado e notou que entre os ingredientes, estavam incluídos água, cafeína e benzoato de sódio. Embora ele esteja trabalhando com plantação de flores atualmente, ele se formou e exerceu a profissão de médico por 15 anos; o que o fez rapidamente concluir que dois componentes da fórmula da bebida, misturados, se tornam droga perigosa para a saúde.

Fonte: http://www.chinadaily.com.cn/english/doc/2004-09/07/content_372328.htm

sexta-feira, setembro 10, 2004

100% Brasil: Próximo Sábado Dia 11, Depois Da Meia Noite

Respondendo àqueles que escreveram perguntando sobre a apresentação do programa 100% Brasil na Rede TV, depois da meia-noite do próximo sábado, dia 11; não está prevista nenhuma modificação na grade de programação. O programa deverá ir ao ar. Mesmo assim, é inteligente consultar o site da Dolly para saber melhor perto do horário do início do programa. A assessoria de imprensa da empresa tem sempre informações atualizadas sobre o caso Dolly X Coca-Cola. Desgovernadas e mal-intencionadas, as "tropas-de-choque" da Coca, já não convencem como antes, mas conseguem perturbar, atrasar, tentam censurar e até calar muita gente. São trapalhões eficientíssimos. Por isso, até o último minuto antes do programa, ainda podem haver mudanças. Confiram.

quinta-feira, setembro 09, 2004

Açúcar Amargo

Washington DC , 10 de junho de 2004 – A Coca-Cola e outras grandes corporações estão indiretamente se beneficiando da utilização de trabalho infantil nas plantações de cana-de-açúcar em El Salvador, conforme denúncia em um novo relatório da Human Rights Watch (HRW); que interpela a Coca-Cola à responsabilidade de assegurar que práticas desta ordem sejam encerradas.
De 5 000 a 30 000 crianças salvadorenhas, algumas com 8 anos de idade, trabalham em plantações em El Salvador, onde acidentes sem controle, a maioria sendo de cortes severos, são bastante comuns, de acordo com o relatório 'Fazendo Vista Grossa: O Alto Risco No Cultivo De Cana-de-Açúcar Em El Salvador'.
Pela lei salvadorenha, 18 anos de idade é o mínimo para se assumir um trabalho de risco; e 14 anos para os outros tipos de trabalho. Mas o que normalmente acontece, é que crianças são admitidas como 'ajudantes' ao invés de empregadas das empresas, e isso, pela lei, garantiria a elas reforço na proteção.
Acrescentado da isto, as crianças acidentadas durante o trabalho são obrigadas a pagar por seus atendimentos médicos. Da mesma forma que os adultos o fazem nas plantações.
"O trabalho infantil está tendo uma curva ascendente no cultivo de cana-de-açúcar em El Salvador", disse Michael Bochenek da Divisão da Infância do HRW. "Companhias que compram o uso do açúcar salvadorenho deveriam refletir sobre este fato e fazer alguma coisa a respeito".
O relatório de 139 páginas, baseado em entrevistas com 32 crianças e jovens em idades entre 12 e 22 anos; com pais, professores, ativistas, acadêmicos, advogados, funcionários públicos e representantes da Associação Salvadorenha de Açúcar, durante uma viagem a El Salvador no ano passado, é o décimo primeiro de uma série sobre trabalho infantil, e o quarto que retrata o trabalho infantil em El Salvador.

Fonte: http://www.worldrevolution.org/article/1461

quarta-feira, setembro 08, 2004

Dolly X Coca-Cola

Um dos episódios muito instrutivos sobre as vísceras do mercado, tão admirado e louvado por muitos, é a batalha entre uma pequena empresa nacional de refrigerantes e a multinacional Coca-Cola. A disputa é só um dos inúmeros casos de como as empresas privadas de um modo geral resolvem suas diferenças. O que chama a atenção entretanto é a disposição do dono da Dolly, Laerte Codonho, de levar o caso até as últimas conseqüências e mais, tentar torná-lo o mais conhecido o quanto possível. O refrigerante Dolly é comercializado em São Paulo e Rio de Janeiro e foi lançado no mercado a 17 anos como o primeiro refigerante dietético do país. De 87 pra cá, uma longa disputa pelos subterrâneo empresarial vem se desenvolvendo tendo a gigante Coca-Cola no papel da grande vilã da história ( e nem podia ser diferente ). O Pasquim tratou do tema com uma entrevista com Codonho, em sua edição de número 97 correspondente à 5ª semana de 2004. A entrevista recebeu o título de Laerte Codonho: "Não gosto de briga, mas os caras me provocam". Na entrevista, o empresário conta que antes de tentar lançar a Dolly, tentou vender a fórmula e que havia ido à Coca-Cola conversar sobre isso com eles e tiraram sarro da minha cara. Se tenho cara de bebê com 43 anos, imagine com 26! O cara falou: 'Você é um garoto esforçado, mas temos 180 deputados, 40 senadores, alguns governadores, agora vem você querendo sair com o diet na nossa frente...'. O empresário relata ainda que da simples postura de ignorar o possível concorrente com a declaração de compra de 'autoridades', a Coca passou à sabotagem de todos os tipos. O assunto também foi matéria de capa da revista Caros Amigos edição 86 de maio de 2004. O artigo Uma guerra sem refresco, assinado por Marina Amaral, comenta que inexplicavelmente quase sem ruído, já que há denúncias gravadas - o que em certos casos faz a alegria da mídia grande -, essa guerra protagonizada pela marca mais famosa do mundo encerra em seus bastidores sabores insuspeitados. Depois de anos sendo vítima de espionagem e sabotagens, a Dolly passou ao contra-ataque divulgando vídeos de uma conversa informal com o diretor da Coca-Cola regional que é uma verdadeira confissão de culpa. O video foi divulgado em horário pago na Rede TV por poucos dias, sendo logo em seguida retirado do ar. A Dolly entretanto os disponibizou no seu site. Neles, o presidente da Coca-Cola fala inclusive de 'eliminação física' de concorrentes no México. Recentemente o site da Dolly passou a divulgar 12 videos com o programa 100% Brasil da RedeTV! veiculado no dia 11 de julho tratando do embate entre a Coca Cola e a Dolly. Neles estão imagens de audiência na câmara dos deputados do último dia 3 de junho que são de fato reveladoras. Quando questionado sobre se a composição do refrigerante Coca Cola usa derivados da folha de coca, o presidente da multinacional mostrou-se claramente desconcertado, não respondeu e a sessão foi abruptamente encerrada. O congresso nacional vem 'discutindo' o caso desde o ano passado já tendo simplesente arquivado diversos requerimentos sobre o assunto. A TV Câmara veiculou programa sobre a peleja Dolly versus Coca que está disponível na internet. Aproveitando-se do debate aberto sobre a composição do refrigerante da concorrente, a Dolly passou a uma nova investida. Dessa vez divulgando outdoors estampando 'Coca-Cola contém Folha de Coca? É ilegal? A Coca-Cola está acima da lei?'. Os outdoors já foram retirados por ordem judicial, mas é possível ler sobre o assunto em matéria no site Finance One.

Giambatista Brito
03/08/2004

terça-feira, setembro 07, 2004

Os Norte-Americanos Podem. Os Sul-Americanos, Não.

"Então, o que o governo norte-americano, patrocinado pelos dólares contaminados pelos impostos da guerra, têm a oferecer aos sul-americanos no lugar da coca; além de armas, solo envenenado, bases militares e submissão forçada aos desígnios imperialistas dos Estados Unidos? Ah, Sim! Eles oferecem um prato cheio de hipocrisia chafurdada em sangue. Enquanto o DEA decreta a proliferação das áreas de cultivo de coca na Colômbia militarista e estrategista, eles consistentemente e sorrateiramente limpam o caminho burocrático para a Stephan Chemical, companhia baseada no estado de New Jersey, fazer a importação da coca, da Bolívia e do Peru; de tal forma que o produto possa ser transformado no 'ingrediente secreto da Coca-Cola' (shhh..... é um segredo), como também na cocaína farmacêutica. Acredite, essa é a real! Não é uma lenda urbana; a prova pode ser facilmente acessada online no US Federal Register.
Mas e se a Coca-Cola deixar de utilizar a coca em seu refrigerante? O que me deixa intrigada nisso tudo, é entender o que torna aceitável em que uma das maiores corporações norte-americanas distribua coca para hordas de cidadãos americanos descerebrados digerirem; ao mesmo tempo que se faz inadmissível para o povo que nutriu a planta, o consumo da mesma. Povo este, cujas raízes e cultura estão profundamente ligadas ao uso da coca de uma maneira muito menos danosa.
A coca tem sido a espinha dorsal da cultura indígena da região há mais de 3000 anos. Como é que companhias estrangeiras adquirem autoridade para burlar a cultura de povos que mal conhecem, impondo leis e comportamentos e causando tanta desgraça a populações inteiras?"

Por Ashley Kennedy
Fonte: www.narconews.com

segunda-feira, setembro 06, 2004

A Coca-Cola, O Hidrofluorcarbono E O Plástico Reciclado

Nos últimos anos, a Coca-Cola vem sendo criticada por ambientalistas que se baseiam em duas principais causas, sendo estas: 1- o uso dos ambientalmente prejudiciais hidrofluorcarbonos (HCFCs) nos refrigeradores da Coca-Cola e 2- pelo dano ambiental causado pelas embalagens descartáveis da bebida. Os sistemas de refrigeração não precisam ser de ordem natural – conhecidos como refrigeração verde – mas não deixam de ser uma alternativa viável aos HCFCs.
Ao concorrer como sede dos Jogos Olímpicos de 2000, a Austrália proclamou que aquela seria primeira 'olimpíada verde'; onde então a Coca-Cola foi alvejada pelo Greenpeace, que iniciou campanha alegando que de cada 1800 refrigeradores da Coca-Cola, somente 100 são de 'refrigeração verde'. A publicidade negativa resultou em vitória parcial de marketing quando a Coca-Cola anunciou que estaria comprometida com a saída de linha dos refrigeradores de HCFC pela época das Olimpíadas de Atenas. Ao que tudo indica, o compromisso ainda não foi totalmente cumprido. Uma campanha similar compreendendo as embalagens plásticas da Coca, foi iniciada em 1997 pela GrassRoots Recycling Network (GRRN) baseada nos Estados Unidos. Três anos antes disso, a Coca-Cola havia abandonado o uso de plástico reciclado em suas embalagens. A campanha da GRRN para pressionar a Coca-Cola a utilizar embalagens de plástico reciclado envolveu estudantes ativistas por todos os Estados Unidos, que fizeram piquetes em engarrafadoras e em reuniões de acionistas. No início deste ano, sob pressão da campanha da GRRN, a Coca-Cola concordou em utilizar 10% de plástico reciclado em suas embalagens descartáveis a partir do ano de 2005. Há que se acompanhar o caso.

site da campanha de pressão à Coca-Cola organizada pelo Greenpeace: http://www.cokespotlight.org/

Fonte: http://www.csrdatanetworks.com/content/news/articlescript/fullnews.php?id=31

domingo, setembro 05, 2004

O Desespero Da Coca-Cola

Leia aqui e aqui. Direto da Assessoria de Imprensa da Dolly.

sexta-feira, setembro 03, 2004

Dow Jones Destaca Investigação Contra Coca-Cola

Leia aqui
FÓRUM IstoÉ Dinheiro
reportagem - "Uma Secretária do Barulho"
cometntários
,
Enviada por: Mauricio Eduardo Peixoto em 2 de Setembro de 2004 - 12:23:01
Extremamente vergonhoso, como uma empresa multinacional pode fazer para se manter em primeiro lugar, politicos eleito pelo povo trabalhando a favor de particulares, atendendo interesses próprios, passando por cima de tudo e todos, assim caminha o Brasil, onde a desonestidade predomina em muitos casos

Mauricio Eduardo Peixoto - mauricioep_br@yahoo.com.br - Campinas/São Paulo


Enviada por: EDEGAR OLIVERO FERNANDES em 1 de Setembro de 2004 - 07:24:02
Noticias de corrupção são divulgadas constantemente, o que se deve fazer além de investigações severas, são punições severas. Se os envolvidos nesse tipo de corrupção são políticos eleitos pelo povo através de voto, a punição deve ainda mais severa, pois utilizam-se do cargo público em proveito próprio. Isso é o que falta, uma punição mais rigorosa. Enquanto isso não ocorrer eles, os políticos, continuaram a se privilegiar de seus cargos e o que é pior sempre se candidatando a outros cargos públicos sem que essas investigações chegem ao final ou lhes puna com rigor.

EDEGAR OLIVERO FERNANDES - edegarfernandes@softcopias.com.br - São Paulo


Enviada por: Edelberto santos em 30 de Agosto de 2004 - 16:07:15
Denuncias de corrupçao estouram a todo momento em diversas parte do pais. As acusaçoes que a ex-funcionaria faz sao graves e merecem uma investigaçao profunda pelo MP. Ao mesmo tempo faz-se necessario que surjam provas concretas que confirmem a existencia do lobby e suas ramificaçoes. Nao seria a primeira vez que alguem queira se promover e ganhar algum com dados falsos ou incompletos.

Edelberto santos - edelbertosantos@porttal.com.br - Fpolis/SC


Enviada por: Ribamar Carbo Moreira em 30 de Agosto de 2004 - 13:10:47
Caros, este filme é uma constante do nosso dia a dia e todos sabem que isto esta acontecendo neste exato momento em outras empresas e sempre estes "negociadores" conseguem articular de maneira sigilosa encontrando meios que ocultem suas ações.E vocês podem observar que quando a pessoa envolvida direta ou indiretamente se sente prejudicada ou fora do grupo , resolve " denunciar"o que por um bom tempo foi cúmplice.Ex. mulher de político corrupto.!

Ribamar Carbo Moreira - ribamar@carbomoreira.com - Sp


Enviada por: Mario Santos em 30 de Agosto de 2004 - 12:32:40
Excelente a reportagem.Parabéns a Adriana, que mostra que se todo cidadão brasileiro iniciar este tipo de denúncia, talvez o País se torne uma nação decente.Não é só a Coca-Cola.Sugiro à Isto É que investigue a Siemens VDO, monopolista do produto tacógrafo onde derruba, através de liminares, os bons concorrentes nacionais, de tecnologia de ponta.Possuem também deputados e lobistas de plantão em Brasília.Verifiquem já!

Mario Santos - mario21@terra.com.br - Fortaleza/CE


Enviada por: Cristiano Nascimento dos Santos em 30 de Agosto de 2004 - 10:32:33
A matéria intitulada "Um secretaria do barulho", além de revelar indícios sérios da maneira de agir das multinacionais, na luta pela preferência do consumidor, bem ilustra o nível de relacionamento que o Governo Brasileiro ainda se permite ter com as megas-corporações internacionais. Pior do que saber que uma transnacional faz uso de métodos escusos para se beneficiar na disputa concorrencial do mercado é ter a suspeita de que as autoridades governamentais sabem disso e continuem a permitir que isso ocorra. Cristiano Nascimento dos Santos, 30 anos,servidor público federal em Mato Grosso.

Cristiano Nascimento dos Santos - cristiano@prmt.mpf.gov.br - Cuiabá/MT


Enviada por: Adriana Antunes em 29 de Agosto de 2004 - 20:20:07
Dei esta entrevista para tornar pública a minha inseguarança, os grampos, as perseguições, o medo. Sei que é uma guerra de gigantes onde acabei caindo. Temo pela minha vida e de minha família. Não roubei documentos; este caso da Dolly vem sendo publicado há algum tempo, DEPOIS da minha saída da Coca-Cola. Digo que não é fácil viver esta situação de ameaça e angústia, mas, como advogada, creio na Justiça dos Homens e Divina. Adriana

Adriana Antunes - adriana@samerica.com - Brasilia/DF


Enviada por: Sylvia em 29 de Agosto de 2004 - 15:22:09
As multinacionais podem ser empresas honoráveis e dignas em seus países de origem, porque aqui no Brasil são muito mais sujas e ordinárias do que as nossas "coitadas" nacionais. Políticos corruptos, traficantes de drogas, multinacionais, são todos gatos do mesmo balaio. Em casa o consumo de refrigerante é muito escasso, mas desde o escândalo coca-cola X Dolly não deixo mais entrar coca-cola na geladeira. Ah, nem cerveja Kaiser também. Cada um luta com as armas que tem. Nós, consumidores, temos que tomar partido das situações, portanto, o que posso fazer na questão é isso. Bani todo e qualquer produto da coca-cola. Não se esqueçam, água mineral da marca Crystal é da coca-cola também. Essas marcas para mim não existem mais, as ofertas de fabricantes genuínos brasileiros hoje em dia não deixa nmada a desejar a essa multinacional nojenta, portanto, façam també o dever de casa, é o mínimo que podemos fazer para defender o que é nosso, ensinem isso a seus filhos. Quanto à moça de denuncia a Coca-Cola, infelizmente, como sempre, demoram muito a ter coragem para bater de frente com os poderosos, isso só acontece quando se encontram numa encruzilhada, sem outra saída, aí, é que como mulher de político corrupto, enquanto desfrutam da mordomia que o dinheiro roubado lhes dá, são parceiras dos maridos, depois do pega pra capar, aí botam a boa no mundo com cara de honestidade a toda prova. Enfim, antes tarde do que nunca.

Sylvia - comercial@brazilsolutions.net - Itanhaém-SP


Enviada por: liliana schmidt em 29 de Agosto de 2004 - 11:26:44
Conheci pessoas que trabalharam na Coca-cola. A situação lá é carrasca. Agora com a entrada de outros refrigerantes e principalmente da Pepsi Twist, tremeram na base. E o pior é que muitas pessoas têm o dom de atuar sem critérios de disfarce. E pensam que os funcionários não enxergam os podres durante suas gestões. O ser humano é muito ingenuo e passivel de corrupção. Aí é que mora o perigo. A Coca-cola já reinou muito. Se precisa usar de baixaria para se destacar é porque não está com a mesma eficiencia dos anos passados. Agora é a vez dos concorrentes!!! Nunca fomos tão desconfiados e justiceiros. Que as autoridades façam a sua parte e que pessoas como essa secretária denunciem mais os podres para que esse pais seja mais digno. dessa forma muitas sujeiras não são feitas descaradamente por esses politicos caras de pau. Deveriam ser condenados, humilhados e surrados em praça publica, no minimo!!! Dessa forma quem sabe se acanham!!!!

liliana schmidt - livth@zipmail.com.br - São Paulo


Enviada por: KLEBER FERREIRA MANDRAL em 29 de Agosto de 2004 - 09:48:36
O PROCESSO DA DOLLY FOI DIVULGADO PELA REDE TV ATRAVES DE ENTREVISTA E RELATO COM GRAVAÇÕES FEITAS PELO PRESIDENTE DA DOLLY. O PROCESSO CONTRA A COCA-COLA EXISTE. AGORA, SE VAI CHEGAR A SER APRECIADO E JULGADO É OUTRA COISA, OU O QUE É PIOR, A DOLLY SER OBRIGADA A INDENIZAR A COCA-COLA POR PERDAS E DANOS. COMO DIRIA UM VELHO SENHOR QUE CONHEÇO: A COCA-COLA NÃO DEVE NADA À JUSTIÇA. JÁ PAGOU TUDO QUE TINHA QUE PAGAR".

KLEBER FERREIRA MANDRAL - kleferman@bol.com.br - varginha


Enviada por: Snicq Laico em 29 de Agosto de 2004 - 03:23:50
Todos nós sabemos que as multinacionais estão envolvidas em lobbys para aprovação de seus produtos no Brasil. As reportagens afloram todos os dias e em todas as épocas na mídia. Mas fiscalizar não é um hábito, apurar não é uma prática e punir os infratores neste país é um problema, não uma solução, jurídica. Se o executivo não fiscaliza, O legislativo se vende e o judiciário é ineficiente. Fazer o quê ? A resposta é não tome coca-cola ela não serve para nada. Não vote em políticos corruptos e acabe com o corporativismo e a ineficiência doo judiciario e no Brasil.

Snicq Laico - snicq@mail.com - Porto Alegre


Enviada por: Edmundo dos Santos Silva em 28 de Agosto de 2004 - 23:49:26
Se o país fosse sério, essa entrevista deveria virar uma CPI.Descobriríamos, os senadores, deputados e governadores envolvidos com a Multinacional.Esse caso é nitroglicerina pura. Parábens a Isto é pela matéria.

Edmundo dos Santos Silva - edmundo@essconsultoria.com.br - Rio de Janeiro


Enviada por: J. RAIMUNDO em 28 de Agosto de 2004 - 23:08:00
SERÁ QUE PARA SE SABER QUAL FOI O POLÍTICO QUE FOI "AGRACIADO" PELA MULTI CORRUPTORA TERIA DE SER ADVINHO??? HAHAHA PARECE ATÉ PIADA DE "CEARENCE"........

J. RAIMUNDO - condenun@ig.com.br - SSA / BA.


Enviada por: Claudio Gomes Gonçalves em 28 de Agosto de 2004 - 13:53:43
Gostaria de parabenizar a revista pela reportagem, pois demonstra isenção e coragem. o que tenho visto é a imprensa sendo comprada nesse caso da coca cola, não quero citar nenhuma outra publicação e nem mesmo emissora de televisão; mas que é estranho é,um caso como esse e as acusações que a Dolly faz contra a multinacional, tão graves são que até o presidente MUNDIAL da coca cola vem ao brasil, recebido como chefe de estado, e nada se divulga na imprensa, e o pouco que vemos são materia tímidas, parecendo mesmo censuradas, acredito que devemos questionar todos os veiculos de comunicação por esse vergonhososo posicionamento. Sugiro que todos entrem em contato com o veiculo que são leitores ou espectadores

Claudio Gomes Gonçalves - clagogon@ig.com.br - São Paulo


Enviada por: Cristino Góes em 28 de Agosto de 2004 - 10:01:02
Onde há fumaça há fogo! Espero que imprensa nacional não seja também comprada, como algumas personagens citadas na matéria da revista. Os rumores de tais praticas exercidas pela Coca-Cola rondam os noticiários de todos os lugares onde ela tem interesses comercias. Espero que a imprensa acompanhe o caso de perto, até mesmo para garantir a integridade da Sra. Adriana Antunes, pois acho difícil que ela vá adiante sem os devidos apoio e cobertura do caso.

Cristino Góes - cjjgoes@yahoo.com.br - Fortaleza/Ceará


Enviada por: Maria Lucia em 28 de Agosto de 2004 - 05:29:09
O ser humano vive de justificativas... algumas delas sao aceitaveis outras nao e a humanidade carregara a surdez psicologica ate quando?????? Quango ha interesses julgados como justificaveis quem e que nao tem competencia para enxergar o outro lado? Porque sempre o caminho escolhido e o sujo encoberto por injustificaveis justificativas e leis mal interpretadas? Quando o Brasil tera implantado em sua cultura (e talvez sera implantada pelo povo que gosta de saber...) algo como dignidade por exemplo?

Maria Lucia - samibrasil2004@yahoo.com.br - Maringa/PR


Enviada por: Fabio Meirelles em 28 de Agosto de 2004 - 00:15:52
seria interessante que houvesse uma boa divulvação, do programa 100%BRASIL, que ira ao ar neste sabado para domingo mais ou menos 00;45hs, cuja entrevistada sera justamente esse exemplo de dignidade e patriotismo que a ex-secretaria da coca-cola a Sr ADRIANA ANTUNES, avisem aos amigos e gravem pois devera ser historico essa entrevista

Fabio Meirelles - fmrl@uol.com.br - São Paulo


Enviada por: josé enrico em 27 de Agosto de 2004 - 22:11:01
o que esta secretária falando não é nenhuma novidade , que os polícos no brasil servem para fazerem "pequenos favores"em troca de "pequenos favores" nas suas contas bancarias , quanto aos métodos utilizados pela coca-cola também não me causa espanto pois é exatamente assim que as empresas americanas fazem para atingirem seus objetivos em qualquer lugar do mundo . o que eu espero é que o ministério publico tome o depoimento desta secretária e investigue até o fim . SERÁ QUE ESTOU PEDINDO MUITO ?

josé enrico - jcornetta@terra.com.br - são vicente-são paulo


Enviada por: Carlos henrique Rodrigues Amaral em 27 de Agosto de 2004 - 20:33:14
Se as acusações exploradas nesta reportagem se confirmarem, podemos concluir como o sistema político do país está errado, pois políticos eleitos deixam seus papel principal de atuãção de lado para favorecer interesses de certos grupos que na penumbra dos acontecimentos manipulam os interesses da sociedade para seu favor

Carlos henrique Rodrigues Amaral - hc82@ig.com.br - Campos/Rio de Janeiro

Ativistas Sociais Exigem Fechamento De Fábricas De Refrigerantes

Nova Delhi, 31 de agosto de 2004 - Exigindo o fechamento de todas as fábricas da Coca-Cola e da Pepsi, ativistas sociais do Fórum de Ação Social Indiano questionaram o fornecimento contínuo "dessas bebidas envenenadoras" em todo o país. Eles também fizeram convocação para um protesto na rua do Parlamento.
Depois do relatório do ano passado do Centro de Ciência e Meio Ambiente, o fornecimento dessas bebidas foi interrompido na cafeteria do Parlamento. Mas por outro lado, ele continua por todo o país; mesmo depois que se constatou que, a quantidade de pesticidas contida nas bebidas, excede o limite permitido pela lei. "Onde está a soberania de nosso governo? Se isso acontecesse em 1977, a Coca-Cola seria atirada para fora do país. Mas por que eles não fizeram isso a tempo?" Perguntou um membro do Comitê Executivo Nacional, INSAF, Citrananjan Singh, em uma coletiva para a imprensa.
Apontando para as fábricas, responsáveis pela drenagem pesada da água do lençol freático, o ativista social Nand Lal, de Varanasi disse "Nós temos lutado contra a engarrafadora que está instalada em nossa cidade. O nível do lençol freático tem baixado drasticamente desde o início do funcionamento da fábrica. Para cada litro de Coca-Cola, gasta-se 10 litros de água. Por esse cálculo, conclui-se quão danosa cada fábrica de refrigerantes pode ser ao meio ambiente." Ele também enumerou outros tipos de poluição, como a água usada contaminada que havia sido distribuída a fazendeiros. " Mas como protestamos, eles começaram a depositá-la no rio. Agora, após os protestos, eles começaram a depositá-la em poços grandes, em seus próprios terrenos. O que nos preocupa é que o nosso lençol freático pode ser contaminado por essa água dos poços.
Fonte: http://www.hindu.com/2004/09/01/stories/2004090116080300.htm

quarta-feira, setembro 01, 2004

CLIQUE AQUI PARA LER OS COMENTÁRIOS DO FÓRUM NA VEJA Online SOBRE O CORTE DA SEGUNDA PARTE DO PROGRAMA 100% BRASIL.

Marketing Às Avessas

O MARKETING INVERSO parece ser a nova 'expertise' da The Coca-Cola Company. É só avaliar o panorama das notícias sobre a companhia na mídia internacional, que se chega à conclusão que nem o drástico aumento do orçamento para 'damage control' está dando conta do estrago.
As "tropas de choque" andam chegando com atraso, e, com isso, retardando os efeitos de seus esforços contra a destruição da imagem da Coca.
Particularmente, aqui no nosso país, a retirada do ar do programa 100% Brasil, devido à liminar da Coca-Cola, acabou transformando a apresentação da primeira parte do programa com a entrevista de Adriana Antunes em 'teaser', causando frustração e revolta aos expectadores, que, inconformados, escrevem exigindo mais respeito com a audiência. Pior pra Coca-Cola.
Em efeito dominó, lá se vão décadas de estratégia de marketing e investimento na construção de uma imagem, drenados ralo abaixo.
Amplamente divulgado na imprensa internacional - até a Revista Fortune fez reportagem sobre o assunto - é evidente o total 'mismanagement' do Board da The Coca-Cola Company.
Filhote das incompetências instaladas nas cias. multinacionais a partir da década de 90, o 'mismanagement' demanda "bombeiros" específicos: É a hora dos lobistas com especialidades se habilitarem.....
Haja RFAs (verbas de Atlanta), haja caixa 2, haja impunidade!