domingo, agosto 08, 2004

Peruanos Inventam Refrigerante À Base De Coca

Deu no New York Times:

“A Kokka Royal Food & Drink, empresa peruana, está produzindo um refrigerante que seus criadores prometem que transformará este país andino: o KDrink. Além de estar cheio de vitaminas, cálcio e proteínas que atraem os consumidores preocupados com a saúde, seu ingrediente mais importante é a coca, a maligna folha verde usada para produzir a cocaína.
Mas isto não impediu a fabricante peruana, a Kokka Royal Food & Drink, de encher 200 mil das garrafas de 295 ml desde que a operação teve início em fevereiro. Nem impediu os advogados da Kokka Royal de negociarem com as autoridades de saúde da Europa para obtenção de licenças de importação, que os fabricantes do KDrink dizem que converterá o preparado singular em um verdadeiro concorrente no mercado mundial das bebidas de marcas famosas.
“Você não obtém isso do Gatorade”, disse Anselm Pi Rambla, o investidor espanhol que está comandando o projeto. “Ele não dá o estímulo da cocaína, do crack. Mas lhe dá uma energia que você pode usar.”
É cedo demais para prever se o KDrink algum dia competirá com a Coca-Cola. Nenhum grande país já autorizou a importação do refrigerante, já que a folha de coca é proibida fora dos Andes. Mas isto não impediu a Kokka Royal de iniciar negociações com autoridades governamentais na Itália, Holanda e Espanha, em um esforço para abrir portas para um produto com um sabor entre o chá gelado e o suco de maçã.
Isto não quer dizer que a folha de coca, exibida de forma proeminente no rótulo chamativo do KDrink, não seja o principal argumento de venda. De fato, a Kokka Royal não deixa de reconhecer que a bebida contém alcalóides de coca, um componente que, em cada garrafa do KDrink, apresenta traços minúsculos de cocaína.
“Na Europa, o interesse virá por ser a folha da coca”, disse Cristina Tudela, a gerente-geral da Kokka Royal. “Eles poderão gostar do sabor, mas o principal para eles será a coca.”
No início deste ano, a Vortex, outra empresa peruana, começou a engarrafar um refrigerante. A Vortex chama seu refrigerante de “bebida energética de coca”, apesar de não conter os alcalóides usados no KDrink. Mas ela também está destacando a coca como ingrediente.
“O bom é que a coca é bem conhecida em todo o mundo”, disse Hans Spitzer, um sócio da Amadeus Corporation que está engarrafando a bebida. “Nós conversamos com o pessoal de marketing, lhes dissemos que todos conhecem a coca. O grande desafio é mudar a conotação.”
Para o governo do Peru, a possibilidade de expansão destes dois refrigerantes é uma perspectiva bem-vinda. “Este Vortex e KDrink, eu acho, são esforços sérios”, disse Fernando Hurtado, um alto funcionário da Devida, a agência do governo responsável pela erradicação da coca. “Espero que eles consigam ir adiante, que possam cultivar e encontrar uma forma de usar a folha da coca de forma legal.”

Fonte: http://provenda.com.br/blog/index.php?cat=4
Reciclado por JAAF Marketing