domingo, agosto 22, 2004

Funcionários pra quê?

Quem assistiu ao programa 100% Brasil pela Rede TV, na madrugada de sábado, 21/08, deve ter acumulado uma série de dúvidas no decorrer da entrevista de Adriana Antunes ao jornalista Marcos Barrero.
Independentemente dos assuntos que ficaram para ser discutidos no próximo sábado, 28/08, o relato de Adriana contrasta com o que se compreende que seja uma estrutura de gestão em uma multinacional, do porte da The Coca-Cola Company.
Conforme Adriana explicitou, a Coca-Cola delega a liderança de seus planos de ação, do acompanhamento de sua produtividade, de toda a sua parte de importância processual jurídica e de sua execução operacional à uma equipe de lobby restrita, que atua em uma casa luxuosa no Lago Sul em Brasília, cuja função principal é pressionar os órgãos do poder, utilizando sejam quais e quantos recursos possíveis à margem da ética e da lei.
É isso mesmo??!!
Seria esta então a causa ou a conseqüencia do esvaziamento de TODOS os departamentos e das diretorias da cia.?
Há estatísticas (não oficiais, é claro) que apontam para mais de 50% em demissões de funcionários desde meados da década de 90.
Também, pra quê funcionários?
Às tarefas mais complexas, que venham os terceirizados; entre eles os lobistas - que tudo, ou quase tudo resolvem - já que "dinheiro não é problema. Como um cartão de crédito sem limites" compra-se tudo. É só solicitar à Atlanta pelos "RFAs" (Request For Authorization).

Se o relato de Adriana Antunes, ex-secretária executiva de Jack Corrêa, Vice-Presidente para Assuntos Governamentais da Coca-Cola Divisão Brasil, corresponde à realidade, obtivemos então, o endereço da mais capitalizada 'incubadora' de corrupção e de desvios de conduta que se tem notícia no país. Bem no centro do Poder.