domingo, agosto 01, 2004

A "EXPORTAÇÃO" DO GUARANÁ JESUS

O guaraná Jesus é um desses produtos que caíram no gosto do brasileiro. No caso específico, do povo maranhense. Pois bem, incapaz de combatê-lo ou exterminá-lo, a Coca-Cola o controla. O mesmo engarrafador dos seus produtos engarrafa o famoso guaraná, mantendo um compromisso de mantê-lo com cerca de 20% de mercado no Maranhão. Nem um pouco mais.
Porém, mesmo com todo esse sucesso, o guaraná Jesus jamais teve sua distribuição expandida para outras regiões do país; o nordeste por exemplo. Esta situação é mantida desde a década de 60! Imaginem...
É até compreensível, pois com tamanho sucesso, seria um risco competir no mercado com tamanho gosto popular e depois ter que ir à casa matriz em Atlanta explicar o fenômeno.
No entanto, na audiência realizada no Congresso Nacional que investiga as práticas da Coca-Cola, esta foi acusada, entre outras coisas, de comprar pequenas marcas e depois tirá-las do mercado. Foi neste momento, que o sr. Ricardo Vontobel, presidente da Associação Brasileira de Fabricantes de Coca-Cola, saiu-se com mais uma de suas ‘pérolas’. Disse ele, mais ou menos com essas palavras:
“Uma evidência de que a acusação de exterminar marcas é inverídica, é o caso do guaraná Jesus. Agora mesmo, vamos exportá-lo para a Índia(!!!). Região do mundo onde após nossas pesquisas, concluímos ser a que mais se adapta a esse produto...”
Ora sr. Vontobel, faça-nos o favor de não nos tirar por idiotas!
Quer dizer que após intensas pesquisas realizadas em várias regiões do mundo, concluiu-se que a região em que o guaraná Jesus mais se adapta é a Índia, com aquela “economia pujante?”
Quer dizer que a força do guaraná é tão grande e seu resultado financeiro tão bom que pode-se dar ao luxo de realizar pesquisa tão onerosa, objetivando um mercado consumidor como o da Índia?
Quer dizer que é mais fácil expandir o guaraná para a Índia do que simplesmente distribui-lo pelo nordeste todo, nos caminhões da Coca-Cola?
Quer dizer que com a exportação do guaraná Jesus para a Índia, vamos ter um forte impacto positivo na nossa balança comercial?
Nada disso. O que essa “exportação” quer dizer, é que se está construindo mais um daqueles discursos-álibi para rebater acusações verdadeiras contra aquela empresa. Essa sim é a verdade. Ah! Se eu não conhecesse suas estratégias, suas artimanhas....O povo ainda é leigo sr. Vontobel....mas não é mais bobo.